O RELACIONAMENTO COM O TREINADOR PODE AFETAR A MOTIVAÇÃO DE ATLETAS PARANAENSES DE FUTSAL?

Maryelle Christina Avelar Ramalho Moura, Tiago Nascimento da Silva, Marcelen Lopes Ribas de Assis, Luciane Cristina Arantes da Costa, Adolpho Cardoso Amorim, Lenamar Fiorese, Andressa Ribeiro Contreira

Resumo


Objetivou-se analisar a motivação e a relação treinador-atleta em atletas do futsal feminino paranaense. Participaram 42 atletas, com média de idade de 22,1 anos (± 3,6 anos), inscritas no Campeonato Paranaense de Futsal Feminino Adulto 2017. Os instrumentos foram a Escala de Motivação para o Esporte e o Questionário de Relacionamento Treinador-atleta. As análises foram realizadas pelos testes de Friedman, U de Mann Whitney e Coeficiente de Correlação de Spearman (p < 0,05). Os resultados revelaram valores elevados para a motivação intrínseca (Md = 6,7), integrada (Md = 6,7) e identificada (Md = 6,3) e no relacionamento treinador-atleta para as dimensões proximidade (Md = 6,7) e complementaridade (Md = 6,5). Foram identificadas correlações significantes e positivas entre a dimensão motivação identificada e as dimensões proximidade, comprometimento e complementaridade (p < 0,05); a motivação intrínseca correlacionou-se com a dimensão proximidade. As atletas do futsal feminino paranaense mostram-se motivadas intrinsecamente para suas práticas esportivas, percebem um relacionamento com o treinador baseado na confiança, respeito e comportamentos amigáveis.

Palavras-chave


Esporte; Motivação; Relacionamento treinador-atleta.

Texto completo:

PDF

Referências


Rosolen M, Voser, RC Hernandez JAE. A motivação para o esporte em atletas universitárias de futsal feminino. Futsal Brasil: O Portal do Futsal Mundial. Porto Alegre. Disponível em: http://www.futsalbrasil.com.br/artigos/artigo.php?cd_artigo=143. Acesso em: 25 set. 2017.

Mourão L, Morel M. As narrativas sobre o futebol feminino: o discurso da mídia imprensa em campo. Rev. Bras. Ciênc. Esporte. 2005; 26(2):73-8.

Samulski D. Psicologia do esporte: conceitos e novas perspectivas. 2. ed. 2009.

Dosil J. Motivación: motor del deporte. Psicologia de la atividade física y del deportes. Madrid: McGrawHill. 2004.

Ré AHN, Rose Jr D, Böhme, MTS. Stress e nível competitivo: considerações sobre jovens praticantes de futsal. R. bras. ci. e mov. 2014; 14(4):83-7.

Gomes AR, Pereira AP, Pinheiro AR. Liderança, coesão e satisfação em equipes desportivas: um estudo com atletas portugueses de futebol e futsal. Psicol. Refl. Crít. 2008; 21(3):482-91.

Bocchini D, Morimoto L, Rezende D, Cavinato G, Luz LMR. Análise dos tipos de ansiedade entre jogadores titulares e reservas de futsal. Conexões: Educ. Fís., Esporte e Saúde. 2008; Campinas. 6. ed. Especial: 522-32.

Motta MAM, Motta SM, Liberali R. A motivação e a autoestima de adolescentes em um projeto de dança. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte. 2012; 11(2):55-67.

Gomes SS, Miranda R, Bara Filho MG, Brandão MRF. O fluxo no voleibol: relação com a motivação, autoeficacia, habilidade percebida e orientação às metas. Rev. Educ. Fís/UEM. 2009; 23(3):379-87.

Nascimento Jr JRA, Vieira LF, Souza EA, Vieira JLL. Nível de satisfação do atleta e coesão de grupo em equipes de futsal adulto. Rev. bras. cineantropom. desempenho hum. 2011; 13(2):138-44.

Jowett S, Ntoumanis N. The Coach-Athlete Relationship Questionnaire (CART-Q): development and initial validation. Scand J Med Sci Sports 2004. 14(4): 245-57.

Sullivan P, Jowett S, Rhind D. Communication in sport teams. In: Papaioannou AG, Hackfort D, editors. Routledge Companion to Sport and Exercise Psychology: Global perspectives and fundamental concepts. London: Taylor & Francis; 2014. p. 559-70.

Cruz JF, Gomes RA. Liderança de equipes desportivas e comportamentos do treinador. In: Cruz JF (Ed.). Manual de psicologia do desporto. Braga: SHO; 1996. p. 389-409.

Jowett S. Interdependence Analysis and the 3+1Cs in the Coach-Athlete Relationship. In: Jowett S, Lavalee D, editors. Social Psychology in Sport. Champaign, IL: Human Kinetics; 2007. p. 15-27.

Jowett S, Poczwardowski A. Understanding the coach-athlete relationship. In: Jowett S, Lavalee D, editors. Social Psychology in Sport. Champaign, IL: Human Kinetics; 2007. p. 3-14.

Gomes R, Paiva P. Liderança, compatibilidade treinador-atleta e satisfação no andebol: percepção de atletas novatos e experientes. Psico-USF. 2010; 2(15): 235-48.

Ribeiro CC. Qualidade da relação treinador-atleta em contextos desportivos: Relações com fatores de grupo e diferenças em função do sexo [dissertação]. Portugal: Universidade do Minho; 2016. 34p.

Vieira JLL et al. Impacto do relacionamento treinador-atleta sobre a eficácia coletiva de jovens atletas de voleibol. Rev. bras. cineantropom. desempenho hum. 2015; 17(6):650-60.

Cheuczuk F, Ferreira L, Flores PP, Vieira LF, Vieira JLL, Nascimento Jr JRA. Qualidade do Relacionamento Treinador-Atleta e Orientação às Metas como preditores de Desempenho Esportivo. Psic.: Teor. e Pesq. 2016; 32(2)01-08.

Jowett S, Shanmugam V. Relational Coaching in Sport: Its psychological underpinnings and practical effectiveness. In: Schinke R, Mcgannon KR.

Thomas JR, Nelson JK, Silverman SJ. Metodologia de pesquisa em atividade física. 2012; 6. ed. Porto Alegre: Artmed.

Pelletier LG, Rocchi MA, Vallerand RJ, Deci EL, Ryan M. Validation of the revised sport motivation scale (SMS-II). Psychol Esporte Exerc 2013; 14(3):329-41.

Nascimento Jr JRA, Vissoci JRN, Balbim GM, Moreira CR, Pelletier LG, Vieira LF. Adaptação transcultural e análise das propriedades psicométricas da Sport Motivation Scale-II no contexto brasileiro. Rev. Educ. Fís/UEM. 2014; 25(3):441-58.

Vieira LF, Nascimento Jr JRA, Pujals C, Jowett S, Codonhato R, Vissoci JRN. Cross-cultural adaptation and psychometric properties of the Brazilian coach-athlete relationship questionnaire (CART-Q) - Athlete Version. Rev. bras. cineantropom. desempenho hum. 2015; 17(6):635-49.

Giusti ML. Caracterização e perfil motivacional das atletas de futsal feminino de alto rendimento no Brasil [dissertação]. Pelotas: Universidade Católica de Pelotas; 2014. 51p.

Campos LTS, Vigário OS, Lürdof SMA. Fatores motivacionais de jovens atletas de vôlei. Rev. Bras. Ciênc. Esporte. 2011; 33(2):303-17.

Contreira AR. Impacto mediador do relacionamento treinador-atleta nas necessidades psicológicas básicas e satisfação atlética de treinadores e atletas brasileiros [tese]. Maringá: Universidade Estadual de Maringá; 2016. 143p.

Philippe RA. Sagar, SS, Huguet S, Paquet Y, Jowett S. From teacher to friend: the evolving nature of the coach-athlete relationship. Int. J. Sport Psychol. 2011; [s.i]: 1-23.

Deci EL, Ryan RM. Motivation, personality, and development within embedded social contexts: An overview of self-determination theory. The Oxford handbook of human motivation. Oxford, England: Oxford University Press. 2012;6:85-107.




DOI: http://dx.doi.org/10.17765/2176-9206.2019v12n1p29-38

Saúde e Pesquisa
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
ISSN 2176-9206 On-line
Contato: naep@unicesumar.edu.br

ISSN 1983-1870 Versão impressa interrompido em 2019

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.