A saúde mental dos professores: a espiritualidade como estratégia protetiva em tempos de pandemia

Palavras-chave: Espiritualidade, Pandemia, Professores, Saúde Mental

Resumo

Foi investigado se o bem-estar espiritual de professores foi fator protetivo para quadros de estresse, ansiedade e depressão durante a pandemia da COVID-19. Para tanto, 733 professores de diversas regiões do Brasil, responderam, no formato on-line, os seguintes instrumentos: questionário para obtenção de dados sociodemográficos, a Escala de Bem-Estar Espiritual (EBE) e o Depression, Anxiety and Stress Scale - Short Form (DASS-21). A coleta foi realizada nos meses de setembro e outubro de 2020. Os dados foram analisados quantitativamente através de regressão linear. Os resultados revelaram que a dimensão da espiritualidade alusiva ao bem-estar existencial foi protetiva para o surgimento de sintomas de ansiedade, estresse e depressão. Por outro lado, o bem-estar religioso foi preditivo de maiores escores dos mesmos transtornos. Características como idade, gênero, renda, tipo de escola, apresentaram relação para a manifestação de sintomas psicopatológicos e o nível de espiritualidade.

Biografia do Autor

Luciana Maria Caetano, Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo
Doutora em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano pela USP. Docente do Programa de Pós-Graduação em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano pela Universidade de São Paulo – USP, São Paulo (SP), Brasil.
Jackeline Maria de Souza, Faculdade de Tecnologia e Ciências - FTC Petrolina (PE)
Doutora em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano pela USP. Coordenadora do curso de Psicologia da Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC), Petrolina (PE), Brasil
Rodney Querino Ferreira da Costa, Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo
Mestre em Psicologia pela Unesp. Docente do curso de Psicologia da Universidade Anhembi Morumbi (UAM), São José dos Campos (SP), Brasil
Dirceu da Silva, Faculdade de Educação da UNICAMP
Doutor em Educação pela USP. Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual de Campinas – Unicamp, Campinas (SP), Brasil.
Betânia Alves Veiga Dell'Agli, Universidade de São Paulo - USP
Doutora em Educação pela Unicamp. Docente do Programa de Pós-Graduação em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano pela Universidade de São Paulo (USP), São Paulo (SP), Brasil.

Referências

1. Reis EJFB, Carvalho FM, Araújo TM, Porto LA, Silvany Neto AM. Trabalho e distúrbios psíquicos em professores da rede municipal de Vitória da Conquista, Bahia, Brasil. Cad Saúde Pública 2005; 21(5):1.480-90.

2. Gasparini SM, Barreto SM, Assunção AA. Prevalência de transtornos mentais comuns em professores da rede municipal de Belo Horizonte. Cad Saúde Pública 2006; 22(12):2.679-91.

3. Ceballos AGC, Santos GB. Fatores associados à dor musculoesquelética em professores: aspectos sociodemográficos, saúde geral e bem-estar no trabalho. Rev Bras Epidemiol 2015; 18(3):702-15.

4. Deffaveri M, Méa CPD, Ferreira VRT. Sintomas de ansiedade e estresse em professores de educação básica. Cad Pesqui 2020; 50(177):813-27.

5. Ferreira-Costa RQ, Pedro-Silva N. Ansiedade e depressão: o mundo da prática docente e o adoecimento psíquico. Estud Psicol (Natal) 2018; 23(4):357-68.

6. Giammei B, Pollo L. Por que nossos professores estão adoecendo?. 2019 Out 14 [citado em 2021 Jun 05]. In: R7 Estúdio [Internet]. Disponível em: https://estudio.r7.com/por-que-nossos-professores-estao-adoecendo-15102019

7. Ferreira-Costa RQ, Pedro-Silva N. Níveis de ansiedade e depressão entre professores do Ensino Infantil e Fundamental. Pro-Posições 2019; 30:e20160143.

8. Castaman AS, Rodrigues RA. Distance education in the COVID crisis - 19: an experience report. Res, Soc Dev 2020; 9(6):e180963699.

9. Médici MS, Tatto ER, Leão, MF. Percepções de estudantes do ensino médio das redes pública e privada sobre atividades remotas ofertadas em tempos de pandemia do coronavírus. Revista Thema 2020; 18:136-55.

10. Grinbergas, D. O dilema das escolas diante da Covid-19. 2021 Abr 16 [citado em 2021 Jun 05]. In: Veja Saúde [Internet]. Disponível em: https://saude.abril.com.br/familia/o-dilema-das-escolas-diante-da-covid-19/

11. Asmundson GJG, Taylor S. Coronaphobia: fear and the 2019-nCoV outbreak. J Anxiety Disord 2020; 70:102196.

12. Schmidt B, Crepaldi MA, Bolze SDA, Neiva-Silva L, Demenech LM. Saúde mental e intervenções psicológicas diante da pandemia do novo coronavírus (COVID-19). Estud Psicol (Campinas) 2020; 37:e200063.

13. Barros MBA, Lima MG, Malta DC, Szwarcwald CL, Azevedo RCS, Romero D, et al. Relato de tristeza/depressão, nervosismo/ansiedade e problemas de sono na população adulta brasileira durante a pandemia de COVID-19. Epidemiol Serv Saúde 2020, 29(4):e2020427.

14. Silva DSC, Santos MB, Soares MJN. Impactos causados pela COVID-19: um estudo preliminar. RevBEA 2020; 15(4):128-47.

15. Wang C, Pan R, Wan X, Tan Y, Xu L, Ho CS, et al. Immediate psychological responses and associated factors during the initial stage of the 2019 coronavirus disease (COVID-19) epidemic among the general population in China. Int J Environ Res Public Health 2020; 17(5):1729.

16. Moreira WC, Sousa AR, Nóbrega MPSS. Adoecimento mental na população geral e em profissionais de saúde durante a COVID-19: scoping review. Texto & Contexto Enferm 2020; 29:e20200215.

17. Santos WA, Beretta LL, Leite BS, Silva MAP, Cordeiro GP, França EM. The impact of the COVID-19 pandemic on the mental health of healthcare workers: integrative review. Res, Soc Dev 2020; 9(8):e190985470.

18. Monteiro DD, Reichow JRC, Sais EF, Fernandes FS. Espiritualidade/religiosidade e saúde mental no Brasil: uma revisão. Bol-Acad Paul Psicol 2020; 40(98):12939.

19. Marques LF, Sarriera JC, Dell'Aglio DD. Adaptação e validação da Escala de Bem-estar Espiritual (EBE): Adaptation and validation of Spiritual Well-Being Scale (SWS). Aval Psicol 2009; 8(2):179-86.

20. Vignola RCB, Tucci AM. Adaptation and validation of the depression, anxiety and stress scale (DASS) to Brazilian Portuguese. J Affect Disord 2014; 155:104-9.

21. Vinuto J. A amostragem em bola de neve na pesquisa qualitativa: um debate em aberto. Temáticas 2014; 22(44):203-20.

22. Cohen J. Statical Power: analysis for the Behavioral Sciences. 2ª ed. New York: Psychology Press; 1988.

23. Zhang WR, Wang K, Yin L, Zhao WF, Xue Q, Peng M, et al. Mental health and psychosocial problems of medical health workers during the COVID-19 epidemic in China. Psychother Psychosom 2020; 84(4):242-50.

24. Vieira PR, Garcia LP, Maciel ELN. Isolamento social e o aumento da violência doméstica: o que isso nos revela?. Rev Bras Epidemiol 2020; 23:e200033.

25. Teixeira CNG, Rodrigues MIQ, Silva RADA, Silva PGB, Barros MMAF. Qualidade de vida em estudantes de odontologia na pandemia de COVID-19: um estudo multicêntrico. Saud Pesq 2021; 14(2):e9009.

26. Thurow A, Charão C, Mortagua E, Souza L. Bem-estar espiritual e religião em doutorandos de universidade comunitária. Rev Psicol IMED 2017; 9(2):77-92.

27. Delcor NS, Araújo TM, Reis EJFB, Porto LA, Carvalho FM, Silva MO, et al. Condições de trabalho e saúde dos professores da rede particular de ensino de Vitória da Conquista, Bahia, Brasil. Cad Saúde Pública 2004; 20(1):187-96.

28. Turke KC, Canonaco JS, Artioli T, Lima MSS, Batlle AR, Oliveira FCP, et al. Depression, anxiety and spirituality in oncology patients. Rev Assoc Med Bras 2020; 66(7):960-5.

29. Chaves ECL, Iunes DH, Moura CC, Carvalho LC, Silva AM, Carvalho EC. Ansiedade e espiritualidade em estudantes universitários: um estudo transversal. Rev Bras Enferm 2015; 68(3):504-9.

30. Gomes MV, Xavier ASG, Carvalho ESS, Cordeiro RC, Ferreira SL, Morbeck AD. “À espera de um milagre”: espiritualidade/religiosidade no enfrentamento da doença falciforme. Rev Bras Enferm 2019;72(6):1554-61.

Publicado
2022-04-29
Seção
Artigos Originas - Promoção da Saúde