Práticas obstétricas e assistência ao parto: estudo de método misto

Palavras-chave: Obstetrícia, Parto, Saúde da mulher

Resumo

Objetivo: descrever as práticas obstétricas empregadas na assistência ao parto e verificar a associação entre condições obstétricas e sociodemográficas das mulheres com a via de parto. Método: estudo de método misto, do tipo concomitante, realizado com 417 puérperas, por meio de entrevistas semiestruturadas, dados de prontuários e caderneta da gestante. Resul-tados: o parto vaginal foi realizado para 56,1% das puérperas e esteve associado à idade materna, risco habitual, dilatação cervical de 5 a 7 cm, membranas rotas e parto vaginal an-terior na admissão. Identificou-se intervenções obstétricas como uso de ocitocina, amnioto-mia, exames vaginais repetidos, episiotomia, pressão no fundo do útero, posição litotômica para parir. A presença do acompanhante e oferta de alimentos não foram garantidos em to-dos os casos e a assistência ao parto foi por médicos. Conclusão: Recomenda-se a inserção de enfermeiros obstetras no campo de atuação para fortalecer o uso de boas práticas na as-sistência ao parto.

Biografia do Autor

Maria Aparecida Baggio, Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Possui graduação em Enfermagem pela Universidade de Passo Fundo (2000), Mestrado em Ciências da Saúde Humana pela Universidade do Contestado (2004), Especialização em Formação Pedagógica em Educação Profissional pela Escola Nacional de Saúde Pública e Fundação Oswaldo Cruz (2005), Mestrado em Enfermagem pela Universidade Federal de Santa Cataria (2008), Doutorado em Enfermagem pela Universidade Federal de Santa Cataria (2012), com desenvolvimento de doutorado sanduíche na Escola Superior de Enfermagem de Coimbra, Portugal (2010). Tem experiência na área de Enfermagem com atuação nas áreas de atenção básica à saúde e hospitalar (Unidade de Terapia Intensiva Adulto e Pediátrica, Pediatria, Maternidade/Alojamento Conjunto, Centro Obstétrico, Emergência Adulto, Clínica Médico-Cirúrgica, Gestão e Gerenciamento em Saúde e Enfermagem). Atualmente atua como docente do ensino superior no Curso de Graduação em Enfermagem, na disciplina Enfermagem em Saúde da Mulher: ginecologia e obstetrícia; no Programa de Pós-Graduação em Saúde Pública em Região de Fronteira, nas disciplinas Cuidado Frente o Processo Saúde-Doença em Região de Fronteira e Pesquisa qualitativa em saúde pública; e no Programa de Residência em Enfermagem Obstétrica, na Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS), no campus de Cascavel e de Foz do Iguaçu, respectivamente. Líder do Grupo de Pesquisa em Enfermagem Materno-Infantil (GPEMI), do CCBS, da UNIOESTE.
Ana Paula Contiero, Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Doutora em Enfermagem pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto-USP (2019), Mestre em Ciências da Saúde pela Universidade Estadual de Maringá- UEM (2011), Especialista em Enfermagem Pediátrica e Neonatal (2015), e Graduada em Enfermagem pela Universidade Paranaense -UNIPAR (2005). Docente do Curso de Graduação em Enfermagem, do Programa de Pós Graduação (mestrado) Saúde Pública em Região de Fronteira e da Residência Multiprofissional em Neonatologia na Universidade Estadual do Oeste do Paraná- UNIOESTE. Tem experiência na área da saúde da criança, atuando em pesquisas na área da saúde materno-infantil e Atenção Primária à Saúde.
Taís Regina Schapko, Prefeitura Municipal de Santa Terezinha de Itaipú
Enfermeira na Prefeitura Municipal de São Miguel do Iguaçu/PR (2020-atual). Mestre em Saúde Pública em Região de Fronteira pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE) (2023). Atua como enfermeira no Hospital e Maternidade Municipal São Miguel Arcanjo de São Miguel do Iguaçu, onde atuou nos setores de pronto atendimento e pronto socorro (atual), clínica cirúrgica e maternidade (2022-2023) e centro cirúrgico (2023), pronto atendimento respiratório Covid-19 (2021-2022). Atuou como enfermeira no Hospital Municipal Padre Germano Lauck de Foz do Iguaçu/PR na Unidade de Terapia Intensiva Covid-19 (2020). Graduada no curso de Bacharel em Enfermagem pelo Centro Universitário União das Américas (UNIAMÉRICA) (2020). Participou do Grupo de Pesquisa em Enfermagem Materno-Infantil (GPEMI), do CCBS, da UNIOESTE (2021-2022). Foi aluna-pesquisadora bolsista de Iniciação Científica pelo Centro Universitário União das Américas (UNIAMÉRICA) (2018-2019). Realizou estágio supervisionado obrigatório hospitalar no setor da de Unidade de Terapia Intensiva Coronariana (UCO) - Hospital Ministro Costa Cavalcanti - HMCC (2019) e estágio supervisionado obrigatório na atenção básica na Unidade de Saúde da Família Parque dos Estados em Santa Terezinha de Itaipu (2019). Pesquisa na área de Educação Continuada, Saúde Materno-Infantil, Unidade de Terapia Intensiva, entre outros.

Referências

Osis MJMD. Paism: um marco na abordagem da saúde reprodutiva no Brasil. Cad. Saúde Pública. [Internet] 1998 [acesso em 2023 Nov 17];14:S25–32. doi: https://doi.org/10.1590/S0102-311X1998000500011

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Pro-gramáticas Estratégicas. Política nacional de atenção integral à saúde da mulher: princípios e diretrizes / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. – Brasília: Ministério da Saúde, 2004. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nac_atencao_mulher.pdf.

Leal MC, Szwarcwald CL, Almeida PVB, Aquino EML, Barreto ML, Barros F, et al. Saú-de reprodutiva, materna, neonatal e infantil nos 30 anos do Sistema Único de Saúde (SUS). Ciênc. Saúde Colet. [Internet] 2018 [acesso em 2023 Nov 17];23(6):1915–28. doi: https://doi.org/10.1590/1413-81232018236.03942018

Santana TDB, Silva GR, Nery AA, Martins Filho IE, Vilela AB. Avanços e desafios da concretização da política nacional da saúde da mulher: uma revisão de literatura. Rev. Aten. Saúde. [Internet] 2019 [acesso em 2023 Nov 17];17(61):135-141. doi: 10.13037/ras.vol17n61.6012

Gama SGN, Thomaz EBAF, Bittencourt SDA. Avanços e desafios da assistência ao parto e nascimento no SUS: o papel da Rede Cegonha. Ciênc. Saúde Colet. [Internet] 2021 [aces-so em 2023 Nov 17];26(3): 772. doi: https://doi.org/10.1590/1413-81232021262.41702020

Paraná. Secretaria de Estado da Saúde do Paraná (SESA-PR). Linha Guia-Programa Rede Mãe Paranaense. Curitiba: [s.n], 2022. 82 p. Disponível em: https://www.saude.pr.gov.br/sites/default/arquivos_restritos/files/documento/2022-03/linha_guia_mi-_gestacao_8a_ed_em_28.03.22.pdf

World Health Organization. WHO recommendations: intrapartum care for a positive child-birth experience. Geneva: World Health Organization, 2018 [cited 2019 Aug 7]. Available from: https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/260178/9789241550215-eng.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. Departamento de Gestão e Incorporação de Tecnologias em Saúde; Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Diretrizes nacionais de assistência ao parto normal: versão resumida. Brasília: Ministério da Saúde; 2017.

Menezes FR, Reis GM, Sales AAS, Jardim DMB, Lopes TC. O olhar de residentes em Enfermagem Obstétrica para o contexto da violência obstétrica nas instituições. Interface comun. saúde educ. [Internet] 2020 [acesso em 2023 Jul 1];24:e180664. doi: https://doi.org/10.1590/Interface.180664

Pinto KRTF, Zani AV, Bernardy CCF, Rossaneis MA, Rodrigues R, Parada CMGL. Fac-tors associated with obstetric interventions in public maternity hospitals. Rev. Bras. Saúde Mater. Infant. [Internet] 2020 [acesso em 2023 Nov 17];20(4):1081–1090. doi: https://doi.org/10.1590/1806-93042020000400009

Martinez EML, Saez ZA, Sanchez EH, Camacho M. Métodos de proteção perineal: conhe-cimento e uso. Rev. Esc. Enferm. USP. [Internet] 2021 [acesso em 2023 Jun 12];55:e20200193. doi: https://doi.org/10.1590/1980-220X-REEUSP-2020-0193

Hidalgo-Lopezosa P, Cubero-Luna AM, Jiménez-Ruz A, Hidalgo-Maestre M, Rodríguez-Borrego MA, López-Soto PJ. Association between Birth Plan Use and Maternal and Neo-natal Outcomes in Southern Spain: A Case-Control Study. Int. J. Environ. Res. public health [Internet] 2021 [acesso em 2023 Jun 11];8;18(2):456. doi: 10.3390/ijerph18020456. PMID: 33430039; PMCID: PMC7828065.

Oliveira GC, Braga EV, Galvão EL, Guedes HM. Associação entre a via de parto e o perfil obstétrico de parturientes. Enferm. foco [Internet] 2022 [acesso em 2023 Ago 11];13:e-202227. doi: https://doi.org/10.21675/2357-707X.2022.v13.e-202227

Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 14. ed. São Pau-lo: Editora Hucitec, 2014.

Leal MC, Bittencourt SA, Esteves-Pereira AP, Ayres BVS, Silva LBRA A, Thomaz EBAF, et al. Avanços na assistência ao parto no Brasil: resultados preliminares de dois es-tudos avaliativos. Cad. Saúde Pública [Internet] 2019 [acesso em 2023 Abr 18];35(7):e00223018. doi: https://doi.org/10.1590/0102-311X00223018

Antunes MB, Gravena AAF, Luz GS, Rissardo LK, Bolsoni LLM, Charlo PB, et al. Fato-res sociodemográficos e condições de risco em gestantes de um ambulatório especializado do sul do Brasil. Revista Eletrônica Acervo Saúde [Internet] 2020 [acesso em 2023 Jun 21];38: e1985-e1985. doi: https://doi.org/10.25248/reas.e1985.2020

Carvalho ER, Nogueira RA, Marques AG, Marcon SS, Milani RG. Expectativa e experiên-cia do processo parturitivo em mulheres atendidas em unidade básica de saúde. Saud e Pesq. [Internet] 2019 [acesso em 2023 Jun 14];12(3): 545-554, e-ISSN 2176-9206. doi: https://doi.org/10.17765/2176-9206.2019v12n3p545-554

Monteiro BR, Souza NL, Silva PP, Pinto ESG, França DF, Andrade ACA, et al. Health care in the prenatal and childbirth context from puerperal women’s perspective. Rev. Bras. Enferm. [Internet] 2020 [acesso em 2023 mar 10];73(4):e20190222. doi: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2019-0222

Pereira JTMO, Canario MASS, Zani AV, Bernardy CCF, Cardelli AAM, Pimenta RAF. Obstetric care in public maternity hospitals: comparative analysis of two cohort studies. Ciênc. cuid. saúde. [Internet]. 2022 [cited 2023 Nov 21]; 200. doi: 10.4025/ciencuidsaude.v20i0.58622

Paraná. Assembleia Legislativa do Estado do Paraná. Lei nº 20.127 de 15 de janeiro de 2020 que institui a Lei que garante à gestante o direito a escolher o tipo de parto no Paraná [Internet] 2020 [acesso 2023 mar 29]. Avaliable from: http://portal.assembleia.pr.leg.br/modules/mod_legislativo_arquivo/mod_legislativo_arquivo.php?leiCod=52034&tipo=L&tplei=0

Medina ET, Mouta RJO, Carmo CN, Filha MMT, Leal MC, Gama SGN. Boas práticas, intervenções e resultados: um estudo comparativo entre uma casa de parto e hospitais do Sistema Único de Saúde da Região Sudeste, Brasil. Cad. Saúde Pública [Internet] 2023 [acesso em 2023 Jun 19];39(4):e00160822. doi: https://doi.org/10.1590/0102-311XPT160822

Pereira SB, Diaz CMG, Backes MTS, Ferreira CLL, Backes DS. Boas práticas de atenção ao parto e ao nascimento na perspectiva de profissionais de saúde. Rev. Bras. Enferm. [In-ternet] 2018 [acesso em 2023 Jun 2];71(suppl 3):1393-9. doi: https://doi.org/10.1590/0034-7167-2016-0661

Santana AT, Felzemburgh RD, Couto TM, Pereira LP. Atuação de enfermeiras residentes em obstetrícia na assistência ao parto. Rev. Bras. Saúde Mater. Infant. [Internet] 2019 [acesso em 2023 Jul 8];19(1):135-44. doi: https://doi.org/10.1590/1806-93042019000100008

Parada CMG de L. Women’s health during pregnancy, childbirth and puerperium: 25 years of recommendations from international organizations. Rev. Bras. Enferm. [Internet]. 2019Dec;72:1–2. doi: https://doi.org/10.1590/0034-7167-2019-72suppl301

Hatamleh R, Abujilban S, Abuhammad S. The effects of a childbirth preparation course on birth outcomes among nulliparous Jordanian women. Midwifery. [Internet] 2019 [acesso em 2023 Jul 11];72:23-9. doi: https://doi.org/10.1016/j.midw.2019.02.002

Teixeira SVB, Silva CFCS, Silva LR, Rocha CR, Nunes JFS, Spindola T. Experiences on the childbirth process: antagonism between desire and fear. Rev. Pesqui. [Internet] 2018 [acesso em 2023 Abr 12];10(4):1103-10. doi: 10.9789/2175-5361.2018.v10i4.1103-1110

Junges CF, Brüggemann OM. Factors associated with support provided to women during childbirth by companions in public maternity hospitals. Texto & contexto enferm. [Internet] 2020 [acesso em 2023 Jun 11];29:e20180239. doi: https://doi.org/10.1590/1980-265X-TCE-2018-0239

Melo LP, Pereira AM, Rodrigues DP, Dantas SLC, Ferreira ALA, Fontenele FM, et al. Representações de puérperas sobre o cuidado recebido no trabalho de parto e parto. Av. en-ferm. [Internet] 2018 [acesso em 2023 Jun 12];36(1):22-30. doi:10.15446/av.enferm.v36n1.63993

Publicado
2024-03-31
Seção
Artigos Originais