Sintomas iniciais da COVID–19 e sua relação com a mortalidade em pacientes internados no Paraná

Palavras-chave: COVID-19, Óbito, Sinais e Sintomas

Resumo

Analisar os sintomas iniciais da COVID-19 e associar ao óbito de pacientes adultos e pessoas idosas internadas no estado do Paraná. Estudo transversal, realizado com dados do sistema de notificação do Paraná. A população de estudo foi composta por indivíduos que contraíram SARS-CoV-2 no estado do Paraná. Como variável dependente utilizou-se o desfecho clínico (alta e óbito) e independentes os sinais clínicos. Realizou-se qui-quadrado e regressão logística. Amostra de 15.492 indivíduos, com 66,5% alta hospitalar. Indivíduos com baixa saturação de oxigênio, dispneia, irritabilidade ou confusão e batimento de asas nasais apresentaram 2,09, 1,68, 1,65 e 2,37, respectivamente, mais chances de vir a óbito (p<0,001). Indivíduos com cefaleia (OR=0,82), mialgia (OR=0,76) e disgeusia (OR=0,78) apresentaram-se como fator de proteção à mortalidade (p≤0,001). O óbito pela COVID-19 esteve associado à saturação de oxigênio baixa, dispneia, irritabilidade ou confusão e batimento de asas nasais.

Biografia do Autor

Danielle Bordin, Universidade Estadual de Ponta Grossa
Cirurgiã-dentista pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) ? PR (2012). Mestre e Doutora em Odontologia Preventiva e Social pela Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho". Especialista em Saúde Pública e Gestão em Saúde. Pós-doutora em Ciências da Saúde da UEPG (2019). Foi professora colaboradora na Faculdade de Odontologia de Araçatuba - FOA/UNESP (2015-2015), no Departamento de Enfermagem e Saúde Pública (2016-2020) e coordenadora do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde do Idoso (2020-2021). Atualmente é professora adjunto do Departamento de Enfermagem da UEPG (2021-atual).
Jessica Cardozo, Universidade Estadual de Ponta Grossa
Acadêmica de Enfermagem da Universidade Estadual de Ponta Grossa, UEPG. Ponta Grossa, Paraná, Brasil
Midiã Vanessa dos Santos Spekalski, Universidade Federal do Paraná
Mestranda no Programa de Pós Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Paraná, UFPR.
Geiza Rafaela Bobato, Universidade Estadual de Campinas
Possui Bacharelado em Enfermagem pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (2020). Mestra em Biologia Molecular e Morfofuncional, na área de fisiologia. Atualmente é doutoranda no laboratório de Biologia Vascular no Instituto de Biologia da UNICAMP. Participou dos projetos: COVID-19: Perfil de Saúde e Percepções de Pacientes de diferentes cenários do HU-UEPG; Comportamento Empático entre profissionais da Atenção Primária à Saúde do município de Ponta Grossa/PR e relação com a qualidade de vida; Projeto Pró-Servidor: Saúde e Qualidade de Vida no Trabalho na Universidade Estadual de Ponta Grossa - PR.
Péricles Martim Reche, Universidade Estadual de Ponta Grossa
Possui graduação em Farmácia e Bioquímica pela Universidade Estadual de Maringá (1984), mestrado em Saúde e Ambiente pela Universidade Federal de Mato Grosso (1999) e doutorado em Saúde Coletiva e Epidemiologia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2004). Atualmente é Professor da Universidade Estadual de Ponta Grossa-UEPG, Paraná. Tem experiência na área de Farmácia, com ênfase em Farmacologia, farmacoepidemiologia, saúde pública e atenção farmacêutica, atuando principalmente nos seguintes temas: estudos de utilização de medicamentos, análise de dados,utilização de medicamentos por idosos, estudo sobre a compra de medicamentos em farmácias, reações indesejáveis e seguimento farmacoterapêutico.
Carla Luiza da Silva, Universidade Estadual de Ponta Grossa
Graduada em Enfermagem pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (2005-2008), Mestre em Tecnologia em Saúde pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (2011-2013) e Doutora em Ciências pela Escola de Enfermagem da USP (2014-2018). Docente adjunta na Universidade Estadual de Ponta Grossa - PR. Chefe do Departamento de Enfermagem e Saúde Pública da Universidade Estadual de Ponta Grossa - Paraná (2019-atual).

Referências

Santos IL, Zimmermann IR, Donalísio MR, Santimaria MR, Sanchez MN, de Carvalho JLB, et al. Social vulnerability, survival, and hospital lethality by COVID-19 in patients aged 50 years and over: retrospective cohort of cases in Brazil in 2020 and 2021. Cad Saude Publica. 2022;38(11):1–14. doi: 10.1590/0102-311XPT261921.

Secretaria de Saúde do Estado do Paraná. Coronavírus - COVID-19. 2023;1–72. Disponível em: https://www.saude.pr.gov.br/Pagina/Coronavirus-COVID-19.

Iser BPM, Sliva I, Raymundo VT, Poleto MB, Schuelter-Trevisol F, Bobinski F. Suspected COVID-19 case definition: A narrative review of the most frequent signs and symptoms among confirmed cases. Epidemiol e Serv Saude. 2020;29(3):1–11. doi: 10.5123/S1679-49742020000300018.

Brasil. Ministério da saúde. Boletim Epidemiológico No 152 - Boletim COE Coronavírus. 2023;1–39. Disponível em: https://www.gov.br/saude/pt-br/centrais-de-conteudo/publicacoes/boletins/epidemiologicos/covid-19/2023/boletim-epidemiologico-no-152-boletim-coe-coronavirus/view

Costa TMS, Santos KVG, Oliveira SE, Silva BVS, Melo EBB, Dantas RAN, et al. Characterization of Covid-19 Cases in Critically Ill Patients: Scoping Review. Ciencia, Cuid e Saude [Internet]. 2021;20:1–10. doi: 10.4025/ciencuidsaude.v20i0.57572.

hen T, Wu D, Chen H, Yan W, Yang D, Chen G, et al. Clinical characteristics of 113 deceased patients with coronavirus disease 2019: Retrospective study. BMJ. 2020;368. doi: 10.1136/bmj.m1091.

Prado PR, Gimenes FRE, Lima MVM, Prado VB, Soares CP, Amaral TLM. Risk factors for death due to COVID-19, in the state of Acre, Brazil, 2020: a retrospective cohort study. Epidemiol e Serv Saude. 2021;30(3):1–10. doi: 10.1590/S1679-49742021000300018.

Vincent JL, Taccone FS. Understanding pathways to death in patients with COVID-19. Lancet Respir Med. 2020;8(5):430–2. doi: 10.1016/S2213-2600(20)30165-X.

Nedel JL, Silveira EF, Vivian AG. Qualidade de vida no trabalho de profissionais que atuaram na atenção primária à saúde durante a pandemia da COVID-19. Saúde e Pesqui. 2023;16(e-11570). doi: 10.17765/2176-9206.2023

Pimentel M, Magalhães APA, Novak CV, May BM, da Rosa LGB, Zimerman LI. Cardiac arrhythmias in patients with covid-19. Arq Bras Cardiol. 2021;117(5):1010–5. doi: 10.36660/abc.20200963.

Farias AG, Brito AAC, Silva JV, Cunha ATR, Queiroz JM, Freitas KOR, et al. Perfil epidemiológico dos pacientes hospitalizados com Covid-19 no município de Mossoró-RN. Rev Ciência Plur. 2022;8(3):1–18.

Carvalho AD, Deusa AAF, Tassiany Caroline Souza Trindade TCS, Tittonia AA. Perfil epidemiológico dos casos e óbitos por síndrome respiratória aguda grave confirmados para COVID-19. Rev Baiana Saúde Pública Artig. 2021;45(1):19-32. doi:10.22278/2318-2660.2021.v45.NEspecial_1.a3252.

Rodrigues SS, Galli RA. Análise fisiopatológica das manifestações clínicas respiratórias em pessoas infectadas pelo vírus SARS-CoV-2. Rev Médica Minas Gerais. 2022;32. doi: 10.5935/2238-3182.2022e32201.

Avena MJ, Pedreira M da LG, Gutiérrez MGR de. Conceptual validation of the defining characteristics of respiratory nursing diagnoses in neonates. Acta Paul Enferm. 2014;27(1):76–85.

Neto ARS, Carvalho ARB, Oliveira EMN, Magalhães LBR, Moura MEB, Freitas DRJ. Symptomatic manifestations of the disease caused by coronavirus (COVID-19) in adults: systematic review. Rev Gauch Enferm. 2021;42(spe):1–11. doi: 10.1590/1982-0194201400015.

Barioni EMS, Nascimento CS, Amaral TLM, Neto JMR, Prado PR. Clinical indicators, nursing diagnoses, and mortality risk in critically ill patients with COVID-19: a retrospective cohort. Rev da Esc Enferm. 2022;56:1–7. doi: 10.1590/1980-220X-REEUSP-2021-0568en.

Publicado
2024-03-31
Seção
Artigos Originais