Cuidadores de pessoas idosas e as condições de trabalho associadas ao cuidado

Palavras-chave: Condições de trabalho, Cuidadores, Dor Musculoesquelética, Idoso

Resumo

Descrever a relação entre dor osteomuscular e a condição de trabalho de cuidadores domiciliares de pessoas idosas. Estudo transversal, realizado com cuidadores de pessoas idosas de um centro de referência à saúde do idoso em Salvador. Aplicou-se um formulário estruturado e o instrumento validado Nordic Musculoskeletal Questionnaire (NMQ). Dos 45 participantes, a maioria eram mulheres (86,7%), com idade média de 49,4 anos, sendo 68,9% filhas desses idosos, negras (88,8%), ensino médio (46,7%), renda familiar até três salários (82,2%). Nos últimos doze meses, 95,6% referiram dor musculoesquelética, mais presente na lombar, tornozelos/pés (62,2%) e joelhos (57,8%). A maioria cuida acima de 19 horas/dia, 86,7% cuidam a mais de um ano e 97,8% sem curso de cuidador. A dor osteomuscular está diretamente relacionada a condição de trabalho, pois eles cuidam sozinhos, sem suporte profissional, sem treinamento prévio e sem qualquer orientação sobre o autocuidado à sua saúde física.

Biografia do Autor

Nildete Pereira Gomes, Universidade Federal da Bahia
Fisioterapeuta. Possui Mestrado e Doutorado em Cuidado na Promoção à Saúde, Prevenção, Controle e Reabilitação de Agravos em Grupos Humanos (com foco no Idoso e seu Cuidador no ambiente domiciliar) pelo Programa de pós-Graduação em Enfermagem e Saúde da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Especialista em Orto-trauma. Tem experiencia em Ensino, pesquisa e extensão. Cordenou o Setor de Pesquisa da Liga Alvaro Bahia Contra Mortalidade Infantil e Coordenou do Programa de Residência Multiprofissional (UNIFACS X Hospital Martagão Gesteira) . Atou por 3 anos como docente do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu da Estácio. Experiência profissional assistencial em prevenção, tratamento e reabilitação, em especial, ao público idoso, bem como em práticas de atendimento domiciliar; Integrante do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Idoso (NESPI) e do Grupo de Estudo do Cuidar em Saúde (GECS) da Escola de Enfermagem da UFBA cadastrado no CNPq; Participa dos projetos de pesquisa e extensão intitulado: "Inovações educativas para prevenção/redução de sobrecarga em cuidadores", ?Idosos cuidadores no cuidado ao outro em domicilio: intervindo na sobrecarga do cuidado e "Cuidado a pessoa idosa durante a hospitalização e transição hospital-domicilio?; Atuou como tutora de iniciação cientifica, durante seis anos, de graduandos de fisioterapia e enfermagem da UFBA .
Larissa Chaves Pedreira , Universidade Federal da Bahia
Graduada em Enfermagem pela Universidade Católica do Salvador, possui Mestrado e Doutorado em Enfermagem pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Docente Associada da Escola de Enfermagem da UFBA, atuando na graduação e na pós-graduação. Coordenou o Programa de Pós-Graduação em Enfermagem e Saúde da Universidade Federal da Bahia no quadriênio 2017-2021, a residência em enfermagem intensivista (EEUFBA/ISG/SESAB) entre 2010 e 2015, e foi tutora da residência multiprofissional do Hospital Universitário (HUPES), representando a EEUFBA, inclusive na sua implantação. Vice-líder do Núcleo de Estudos e Pesquisas do Idoso (NESPI) e integrante do Grupo de Estudo do Cuidar em Saúde (GECS) da Escola de Enfermagem da UFBA. Desenvolve projetos de ensino, pesquisa e extensão com ênfase nas temáticas: Enfermagem médico-cirúrgica, enfermagem intensivista, pessoa idosa em situação crítica de saúde, cuidado de transição, cuidado domiciliar, fenomenologia e saúde, pesquisa-ação e demais metodologias qualitativas. Atualmente coordena o Projeto Cuidado à pessoa idosa no processo de hospitalização e transição hospital-domicílio.
Mansueto Gomes Neto, Universidade Federal da Bahia
Possui graduação em Fisioterapia pela Fundação Bahiana para Desenvolvimento das Ciências, Mestrado em Ciências da Reabilitação pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Doutorado em Medicina e Saúde pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) e Estagio Pós Doutoral em Ciencias da Saúde pela Universidade Federal de Sergipe (UFS). Professor Associado I do departamento de Fisioterapia e professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Medicina e Saúde e do Programa de Processos Interativos dos Órgãos e Sistemas da UFBA. Coordenador do Grupo de Pesquisa em Fisioterapia da UFBA. Coordena e desenvolve projetos de pesquisa em parceria com pesquisadores nacionais e internacionais. Ministra aulas em cursos de Graduação e Pós-graduação, e trabalha com reabilitação funcional. Tem experiência em docência no ensino superior, disciplinas ligadas ao estudo do movimento, biomecânica, avaliação funcional e exercícios terapêuticos, atuando principalmente nos seguintes temas: Desempenho Motor, Diagnóstico Funcional, Funcionalidade, Fisioterapia e Reabilitação em pessoas com doenças crônicas. Mantém colaborações nacionais e internacionais para pesquisa e desenvolve projetos de pesquisa com parceria de pesquisadores da Universidade do Estado da Bahia, Universidade Federal de Sergipe (SE), Universidade Estadual de Pernambuco (PE), School of Public Health and Preventive Medicine, Monash University e com a School of Science and Technology, University of New England (Austrália).
Marimeire Morais da Conceição, Universidade Federal da Bahia
Enfermeira, atuação em Educação Permanente em Saúde (Escola de Saúde Pública da Bahia - SESAB), Doutorado (2021- atualmente) e Mestrado em Enfermagem e Saúde (2018- 2020) pela Escola de Enfermagem da UFBA na linha de pesquisa Cuidado no processo de desenvolvimento humano. Membro do Comitê de Ética em Pesquisa Escola de Enfermagem da UFBA. Membro do Grupo de Estudos sobre Saúde da Criança e do Adolescente (CRESCER) - UFBA e do Grupo de Pesquisa Maria Filipa (ESPBA). Especialização em Ativação de Processos de Mudança na Formação Superior de Profissionais de Saúde - FIOCruz (2019-2020). Residência em Clínica Médica-Cirúrgica, com ênfase em Centro Cirúrgico e Central de Esterilização - UFBA (2007-2008). Experiência na docência no ensino em Enfermagem e Saúde (nível Técnico, Graduação e Pós-Graduação Lato Sensu) (2006 - atualmente). Experiência de 15 anos na assistência à saúde na área de Enfermagem Hospitalar, com atuação em Clínica Médica, Semi-Intensiva, Clínica Cirúrgica, CCIH, Centro Cirúrgico, Central de Material e Recuperação pós-anestésica (2006 - 2020). Atua na área da pesquisa sobre saúde da Criança e do Adolescente, Racismo e Saúde, Saúde da População Negra, Educação Permanente em Saúde, Violência, Violência Sexual e Cuidado em Saúde.
Rute dos Santos Sampaio, Universidade Federal da Bahia
Fisioterapeuta pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Mestranda pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem e Saúde da UFBA. Integrante do Núcleo de Estudos e Pesquisas do Idoso (NESPI) cadastrado no CNPq. Participa dos projetos de pesquisa e extensão intitulado: "Inovações educativas para prevenção/redução de sobrecarga em cuidadores" e "Cuidado a pessoa idosa durante a hospitalização e transição hospital-domicilio (EEUFBA) orientado pela Profa. Dra. Larissa Chaves Pedreira. Atuou como vice presidente da Liga Acadêmica de Fisioterapia e Gerontologia (LAFIG) (2019); Participou como membro da Liga Acadêmica de Geriatria e Gerontologia da Bahia (LAGGEBA) (2017-2018); Atuou como monitora dos componentes curriculares Fisioterapia Preventiva (ICSC01) (2018) e de Fisioterapia aplicada a Geriatria (ICSC22) (2019). Foi bolsista de Iniciação Cientifica do Programa Permanecer (2018-2019).
Renata Farias Amorim, Universidade Federal da Bahia
Possui graduação em Fisioterapia pela Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública (2004). Atualmente é fisioterapeuta - Complexo Hospitalar Professor Edgar Santos é mestranda do programa de Pós graduação em Enfermagem e Saúde da Universidade Federal da Bahia- UFBA. Tem experiência nas área de Fisioterapia: traumato-ortopédica, geriatria e hospitalar. Atuando principalmente no seguinte tema: Fisioterapia na transição hospital-domicílio de pessoas adultas e idosas.

Referências

World Health Organization. Ageing and health. Geneva: World Health Organization; e Geneva: WHO [Internet]. 2021 [acesso 2023 jan 20]. Disponível em: https://www.who.int/news-room/fact-sheets/detail/ageing-and-health.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Projeção da População 2018: número de habitantes do país deve parar de crescer em 2047. Editoria: Estatísticas Sociais [Internet]. 2018 [acesso 2023 jan 22].Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/populacao/9109-projecao-da-populacao.html

World Health Organization. Decade of Healthy Aging 2021 – 2030. Geneva: WHO; [Internet]. 2021[acesso 2023 jan 22]. Disponível em: https://www.euro.who.int/en/health-topics/Life-stages/healthy-ageing/news/news/2021/01/decade-of-healthy-ageing-2021-2030.

Lewnard JA, Mahmud A, Narayan T, Wahl B, Selvavinayagam TS, Mohan CB, et al. All-cause mortality during the COVID-19 pandemic in Chennai, India: an observational study. Lancet Infect. Dis. 2021; 22(4):463-72. doi: https://doi.org/10.1016/S1473-3099(21)00746-5.

Wachholz PA, Moreira VG, Oliveira D, Watanabe HAW, Villas Boas PJF. Ocorrência de infecção e mortalidade por Covid-19 em residenciais para idosos no Brasil. Scielo preprints [Internet]. 2020 [acesso 2023 jan 28]. Disponível em: https://preprints.scielo.org/index.php/scielo/preprint/view/1032/1479.

Sheth K, Loring K, Stewart A, Parodi J, Ritter PL. Effects of COVID-19 on informal caregivers and the development and validation of a scale in english and spanish to measure the impact of COVID-19 on caregivers. J Appl Gerontol [Internet]. 2021[acesso 2023 jan 28]; 40(3):235-43. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/33143545/

Tsapanou A, Zoi P, Kalligerou F, Blekou P, Sakka P. The effect of prolonged Lockdown due to COVID-19 on Greek demented patients of different stages and their caregivers. J Alzheimers Dis. 2021; 83:907-13. doi: https://doi.org/10.3233/jad-210702.

Gutierrez DMD, Sousa GS, Figueredo AEB, Ribeiro NMS, Diniz SX, Nobre GASS. Vivências subjetivas de familiares que cuidam de idosos dependentes. Ciênc. Saúde Colet. 2021; 26(01):47-56. doi: https://doi.org/10.1590/1413-81232020261.30402020.

Jesus ITM, Orlandi AAS, Zazzeta MS. Burden, Profile and care: caregivers of socially vulnerable elderly persons. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol. 2018; 21:194-204. doi: https://doi.org/10.1590/1981-22562018021.170155.

Neves EDW, Neves J, Galhardi CM, Baciuk EP, Ferreira LR. Perfil Sociodemográfico, sobrecarga de cuidadores e PPS de pacientes assistidos por um programa de medicina preventiva. Temas em Saúde [Internet]. 2019[acesso 2023 jan 30]; 19(6):533-53. Disponível em: https://temasemsaude.com/wp-content/uploads/2020/01/19628.pdf.

Martinez-Santos AE, Fuente VN, Facal D, Trillo LV, Gandoy MC, Rodriguez RG. Care tasks and impact of caring in primary family caregivers: A cross-sectional study from a nursing perspective. Appl Nurs Res. 2021; 62:151505. doi: https://doi.org/10.1016/j.apnr.2021.151505.

Ru J, Ma J, Niu H, Chen Y, Li L, Liu Y, et al. Burden and depression in caregivers of patients with rheumatoid arthritis in China. Int J Rheum Dis. 2019; 22(4):608-13. doi: https://doi.org/10.1111/1756-185X.13397.

Gomes NP. Eficácia de uma tecnologia educativa na redução de sintomas musculoesqueléticos em cuidadores domiciliares de pessoas idosas: estudo piloto de ensaio clínico randomizado [tese]. Salvador: Universidade Federal da Bahia, Escola de Enfermagem; 2022. 166 p.

Elm EV, Altman DG, Egger M, Pocock SJ, Gøtzsche PC, Vandenbroucke JP, et al. The Strengthening the Reporting of Observational Studies in Epidemiology (STROBE) statement: guidelines for reporting observational studies. Ann Intern Med. 2007; 147(8):573-7. doi: https://doi.org/10.7326/0003-4819-147-8-200710160-00010.

Barros ENC, Alexandre NMC. Cross-cultural adaptation of the Nordic musculoskeletal questionnaire. Int Nurs Rev. 2003; 50(2):101-8. doi: https://doi.org/10.1046/j.1466-7657.2003.00188.x

Hsieh PL, Lee CY, Yang YS, Lin LY, Huang RY. Association between work content and musculoskeletal disorders among home caregivers: a cross-section study. Ind health. 2021. doi: https://doi.org/10.2486/indhealth.2021-0160.

Maia Junior L, Sá SPC, Christovam BP, Domingos AM, Correia DMS, Maia HMSF. Osteomuscular disorders in care of elderly household people: Prevalence and its associated factors. Research, Society and Development. 2021; 10(10):e13101018449. doi: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v10i10.18449.

Kamioka H, Okuizumi H, Okada S, Takahashi R, Handa S, Kitayuguchi J, et al. Effectiveness of intervention for low back pain in female caregivers in nursing homes: a pilot trial based on multicenter randomization. Environ Health Prev Med. 2011; 16;97-105. doi: https://doi.org/10.1007/s12199-010-0170-1.

Domingues GGC, Corradi-Webster CM, Ruzzi-Pereira A. Occupational performance of users careers at Child and Youth Psychosocial Care Center. Saud Pesq; 2021: 14(4): 743-753. doi: https://doi.org/10.17765/2176-9206.2021v14n4e8097.

Souza ID, Pereira JA, Silva EM. Between State, society and family: the care of female caregivers. Rev Bras Enferm. 2018; 71(Suppl6):2720-27. doi: https://doi.org/10.1590/0034-7167-2018-0111.

Zhang M, Chang YP, Liu YJ, Gao L, Porock D. Burden and Strain among Familial Caregivers of Patients with Dementia in China. Issues Ment Health Nurs. 2018; 39(5):427-32. doi: https://doi.org/10.1080/01612840.2017.1418034

Saikai GMPN, Nardi SMT, Saikai W, Pereira DD, Millin RC, Paschoal VD. Exaustão emocional e física de cuidadores familiares. Rev Fun Care Online.2020; 12:1296-1302. doi: http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.rpcfo.v12.9684.

Gomes NP, Pedreira LC, Gomes NP, Fonseca EOS, Reis LA, Santos AA. Health-related consequences of caring for dependent relatives in older adult caregivers. Rev Esc Enferm USP. 2019; 53:e03446. doi: https://doi.org/10.1590/S1980-220X2018002303446.

Tsukamoto HF, Almeida AF de, Bortolloti LF, Ribeiro EA, Egydio FR, Salvador GA, et al. A problemática do cuidador familiar: Os desafios de cuidar no domicílio. Saud Pesq [Internet]. 2010 [acesso 2023 jan 28].; 3(1): 53-58. Disponível em: https://periodicos.unicesumar.edu.br/index.php/saudpesq/article/view/1315.

Rangel RL, Santos LB, Santana ES, Marinho MS, Chaves RN, Reis LA. Avaliação da Sobrecarga do Cuidador Familiar de Idosos com Dependência Funcional. Rev. Aten. Saúde. 2019; 17(60):11-8. doi: https://doi.org/10.13037/ras.vol17n60.5564.

Ceccon RF, Vieira LJES, Brasil CCP, Soares KG, Portes VM, Garcia Júnior CASG, et al. Envelhecimento e dependência no Brasil: características sociodemográficas e assistenciais de idosos e cuidadores. Cien Saude Colet. 2021; 26(01):25. doi: https://doi.org/10.1590/1413-81232020261.30352020.

Diniz MAA, Melo BRS, Neri KH, Gratão ACM, Gaioli CCLO, Casemiro FG, et al. Estudo comparativo entre cuidadores formais e informais de idosos. Cien Saude Colet. 2016: 23(11): 3789-98. doi: https://doi.org/10.1590/1413-812320182311.16932016.

Giovanella L, Martufi V, Mendoza DCR, Mendonça MHM, Bousquat A, Aquino R, Medina MG. A contribuição da atenção primária à saúde na rede SUS de enfrentamento à Covid-19. Saúde debate. 2020; 44 (spe4):161-76. doi: https://doi.org/10.1590/0103-11042020E410.

Biderman A, Carmel S, Amar S, Bachner YG. Care for caregivers- a mission for primary care. BMC Fam Pract. 2021; 22(1): 227. doi: https://doi.org/10.1186/s12875-021-01579-6.

França MASA, Nery NG, Antunes JLF, Freire MCM. Tempo máximo para o início do tratamento do câncer de boca no Brasil após a publicação da legislação de 2012: tendência no período 2013-2019. Cad. Saúde Pública. 2021; 37(10):e00293220. doi: https://doi.org/10.1590/0102-311X00293220.

Publicado
2024-03-31
Seção
Artigos Originais