<b>Prevalência da Síndrome do Comer Noturno em Estudantes do Centro Universitário de Maringá - PR

  • Debora Fernanda Ziroldo Centro Universitário de Maringá - CESUMAR
  • Divana Josiane Caldeira Ceresini Centro Universitário de Maringá - CESUMAR
  • Gersislei Antonia Salado Centro Universitário de Maringá - CESUMAR
  • Angela Andréia França Gravena Centro Universitário de Maringá - CESUMAR
  • Adriano Araújo Ferreira Centro Universitário de Maringá - CESUMAR
  • Talma Reis Leal Fernandes Centro Universitário de Maringá - CESUMAR
Palavras-chave: Transtornos Alimentares, Comedores Noturnos, Obesidade.

Resumo

A Síndrome do Comer Noturno (SCN) é um transtorno alimentar que apresenta três características principais: anorexia matutina; hiperfagia vespertina ou noturna e insônia. Já foi demonstrada associação entre transtornos alimentares e excesso de peso ou obesidade, sendo que esses transtornos ocorrem com muita freqüência entre as jovens universitárias. Estudar transtornos alimentares clinicamente significativos permite a avaliação e o planejamento do tratamento da obesidade de forma mais racional e individualizada. Este trabalho teve por objetivo caracterizar a prevalência da SCN em universitárias e sua associação com o peso e idade. A metodologia consistiu em avaliar a prevalência da SCN através de questionário de autopreenchimento, utilizando o Night Eating Questionaire, traduzido e adaptado para versão brasileira; sendo que as medidas de peso e altura foram auto-informadas. Para avaliar a associação entre peso e idade na ocorrência da SCN, foi utilizado o Índice de Massa Corpórea (IMC). Foram avaliadas 275 estudantes, sendo que 56,4% eram matriculadas em cursos da área de exatas e humanas e 43,6% da área da saúde. Não foram observadas diferenças em relação a caracterização das estudantes quanto a área, de acordo com a idade e variáveis antropométricas. A SCN foi observada em 1,4% das alunas entrevistadas e apenas 0,4% apresentou risco para desenvolvimento da mesma; embora a análise do estado nutricional tenha demonstrado que 14,10% apresentaram excesso de peso, sendo caracterizados em 9,8% e 4,3% com pré-obesidade e obesidade, respectivamente. Os dados não demonstraram associação entre a SCN e excesso de peso, havendo a necessidade de investigações futuras em outras populações.

Biografia do Autor

Debora Fernanda Ziroldo, Centro Universitário de Maringá - CESUMAR
Discente do Curso de Farmácia do Centro Universitário de Maringá – CESUMAR. E-mail: debora_ziroldo@yahoo.com.br
Divana Josiane Caldeira Ceresini, Centro Universitário de Maringá - CESUMAR
Discente do Curso de Farmácia do Centro Universitário de Maringá – CESUMAR. E-mail: josi.ceresini@hotmail.com
Gersislei Antonia Salado, Centro Universitário de Maringá - CESUMAR
Docente do Curso de Nutrição do Centro Universitário de Maringá – CESUMAR. E-mail: gersislei@cesumar.br
Angela Andréia França Gravena, Centro Universitário de Maringá - CESUMAR
Docente do Curso de Nutrição do Centro Universitário de Maringá – CESUMAR. E-mail: angela.gravena@cesumar.br
Adriano Araújo Ferreira, Centro Universitário de Maringá - CESUMAR
Docente do Curso de Farmácia do Centro Universitário de Maringá – CESUMAR. E-mail: adriano.af@cesumar.br
Talma Reis Leal Fernandes, Centro Universitário de Maringá - CESUMAR
Orientadora e Docente do Curso de Farmácia do Centro Universitário de Maringá – CESUMAR. E-mail: talma@cesumar.br
Publicado
2011-10-13
Seção
Artigos Originais