<b>Avaliação da Corrente Russa no Tríceps Sural Sobre o Desempenho do Salto Vertical

  • Aline Fernandes Barbosa Unioeste
  • Ana Luiza Peretti Unioeste
  • Ellis Regina Medeiros de Lara Unioeste
  • Fernanda Lucasynski Amaro Unioeste
  • Alberito Rodrigo de Carvalho Unioeste
  • Gladson Ricardo Flor Bertolini Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Palavras-chave: Estimulação Elétrica, Exercício, Contração Muscular.

Resumo

A estimulação elétrica neuromuscular é uma técnica de fortalecimento muscular baseada na estimulação elétrica dos ramos intramusculares dos motoneurônios, que induzem a contração muscular; contudo, existem controvérsias com respeito aos ganhos funcionais com uso da corrente Russa. O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito da eletroestimulação usando a corrente Russa no músculo tríceps sural sobre a potência e a resistência do salto vertical. O estudo foi composto por 16 voluntárias divididas em dois grupos: controle (GC) e eletroestimulado (GR). A eletroestimulação ocorreu em três dias alternados, durante três semanas, com eletrodos posicionados sobre os tríceps sural bilateralmente. Foram realizadas quatro avaliações: uma prévia as intervenções (AV1), uma ao final das mesmas (AV2), outra após dois dias desta (AV3) e a última após um mês da última eletroestimulação (AV4). A avaliação foi feita pelo Teste de Salto Vertical contínuo de 60 segundos, avaliando a potência muscular média (PMM) e o índice de fadiga (IF) dos saltos. Não houve variação significativa para os grupos em relação à PMM bem como para o IF. Conclui-se que eletroestimulação com corrente Russa não gerou aumentos na potência muscular média e não interferiu no índice de fadiga.

Biografia do Autor

Aline Fernandes Barbosa, Unioeste
Acadêmicas de Fisioterapia da Universidade Estadual do Oeste do Paraná – UNIOESTE, Cascavel, PR, Brasil.
Ana Luiza Peretti, Unioeste
Acadêmicas de Fisioterapia da Universidade Estadual do Oeste do Paraná – UNIOESTE, Cascavel, PR, Brasil.
Ellis Regina Medeiros de Lara, Unioeste
Acadêmicas de Fisioterapia da Universidade Estadual do Oeste do Paraná – UNIOESTE, Cascavel, PR, Brasil.
Fernanda Lucasynski Amaro, Unioeste
Acadêmicas de Fisioterapia da Universidade Estadual do Oeste do Paraná – UNIOESTE, Cascavel, PR, Brasil.
Alberito Rodrigo de Carvalho, Unioeste
Docente da graduação em Fisioterapia da Universidade Estadual do Oeste do Paraná – UNIOESTE, Cascavel, PR, Brasil; Mestre em Ciências do Movimento Humano pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS, Porto Alegre, RS, Brasil.
Gladson Ricardo Flor Bertolini, Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Docente da graduação em Fisioterapia e mestrado em Biociências e Saúde da Universidade Estadual do Oeste do Paraná – UNIOESTE, Cascavel, PR, Brasil; Doutor em Ciências da Saúde Aplicadas ao Aparelho Locomotor pela Universidade de São Paulo - FMRP/USP, Ribeirão Preto, SP, Brasil.
Publicado
2014-07-24
Seção
Artigos Originais