QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES TRANSPLANTADOS RENAIS APÓS LONGO PERÍODO DO TRANSPLANTE

  • Gabrieli Costa Beber Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul
  • Paula Caitano Fontela Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Gerli Elenise Gehrke Herr Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul
  • Eliane Roseli Winkelmann Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - UNIJUI
Palavras-chave: Insuficiência Renal Crônica, Transplante de Rim, Qualidade de vida, Avaliação em saúde.

Resumo

O objetivo do estudo foi avaliar a qualidade de vida (QV) de pacientes pós-transplante renal por meio de protocolo genérico e específico. A avaliação da QV foi realizada por meio de protocolo genérico (Medical Outcomes Study 36-Item Short-Form Health Survey - SF-36) e específico (Kidney Disease Quality of Life Short Form - KDQOL-SF). Foram avaliados 24 pacientes. Escores mais baixos foram obtidos nos domínios situação de trabalho (45,6±36,6), papel físico (63,5±42,3), dor (67,0±26,3), composição física (46,8±8,7) e composição mental (48,9±10,8) no protocolo KDQOL; e na saúde mental (53,3±8,2), dor (63,5±26,8), aspecto físico (63,5±42,3) e capacidade funcional (64,4±22,2) no protocolo SF-36. A QV em geral é boa nos pacientes transplantados renais com prejuízo nos domínios referentes às questões físicas, mentais e relacionadas à dor. O protocolo genérico obteve uma pontuação mais baixa que o protocolo específico. Houve correlação entre o questionário de QV específico e o genérico nos domínios correspondentes.

Biografia do Autor

Gabrieli Costa Beber, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul
Fisioterapeuta graduada pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, Ijuí (RS), Brasil.
Paula Caitano Fontela, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Mestre em Ciências Pneumológicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre (RS), Brasil.
Gerli Elenise Gehrke Herr, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul
Docente no Departamento de Ciências da Vida na Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, Ijuí (RS), Brasil.
Eliane Roseli Winkelmann, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - UNIJUI
Doutora em Ciências Cardiovasculares pela UFRGS/RS. Docente do Programa de Pós Graduação Scricto Sensu Mestrado em Atenção Integral a Saúde (PPGAIS) - UNICRUZ/UNIJUI.

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE TRANSPLANTES DE ÓRGÃOS - ABTO. Acessado em 27 de março de 2017. Disponível em: <http://www.abto.org.br/abtov03/default.aspx?mn=476&c=0&s=157>. Acesso em: 2016.

AXELROD, D. A.; MCCULLOUGH, K. P.; BREWER, E. D.; BECKER, B. N.; SEGEV, D. L.; RAO, P. S. kidney and pancreas transplantation in the united states, 1999–2008: the changing face of living donation. Am J Transplant., v. 10, n. 2, p. 987-1002, 2010.

BAKEWELL, A. B.; HIGGINS, R. M.; EDMUNDS, M. E. Does ethnicity influence perceived quality of life of patients on dialysis and following renal transplant? Nephrol Dial Transplant., v.16, p. 1395-401, 2001.

BAROTFI, S.; MOLNAR, M. Z.; ALMASI, C.; KOVACS, A. Z.; REMPORT, A.; SZEIFERT, L.; SZENTKIRALYI, A.; VAMOS, E.; ZOLLER, R.; EREMENCO, S.; NOVAK, M.; MUCSI, I. Validation of the Kidney Disease Quality of Life Short Form questionnaire-kidney transplant patients. J Psychosom Res., v. 60, n. 5, p. 495-504, 2006.

BOHLKE, M.; MARINI, S. S.; ROCHA, M.; TERHORST, L.; GOMES, R. H.; BARCELLOS, F. C.; IRIGOYEN, M. C.; SESSO, R. Factors associated with health-related quality of life after successful kidney transplantation: a population-based study. Qual Life Res., v. 18, n. 9, p. 185-93, 2009.

CICONELLI, R. M.; FERRAZ, M. B.; SANTOS, W.; MEINÃO, I.; QUARESMA, M. R. Tradução para a língua portuguesa e validação do questionário genérico de avaliação de qualidade de vida SF-36 (Brasil SF-36). Rev Bras Reumatol., v. 39, p. 143-50, 1999.

CORNELLA, C.; BRUSTIA, M.; LAZZARICH, E.; COFANO, F.; CERUSO, A.; BARBÉ, M. C.; FENOGLIO, R.; CELLA, D.; STRATTA, P. Quality of life in renal transplant patients over 60 years of age. Transplant Proc., v. 40, p. 1865 6, 2008.

COSTA, J. M.; NOGUEIRA, L. T. Associação entre trabalho, renda e qualidade de vida de receptores de transplante renal no município de Teresina, PI, Brasil. J Bras Nefrol., v. 36, n. 3, p. 332-8, 2014.

DUARTE, O. S.; MIYAZAKI, M. C. O. S.; CICONELLI, R. M.; SESSO, R. Tradução e adaptação cultural do instrumento de avaliação de qualidade de vida para pacientes renais crônicos (KDQOL-SFTM). Rev Assoc Med Bras., v. 49, p. 375-81, 2003.

FARIAS, G. M.; MENDONÇA, A. E. O. Comparando a qualidade de vida de pacientes em hemodiálise e pós transplante pelo “WHOQOL_BREF”. Reme – Rev Min Enferm., v. 13, p. 574-83, 2009.

FERREIRA, P. L.; ANES, E. J. Medição da qualidade de vida de insuficientes renais crônicos: criação da versão portuguesa do KDQOL-SF. Rev Port Saúde Pública., v. 28, p. 31-9, 2010.

GARCIA, G. G.; HARDEN, P.; CHAPMAN, J. The global role of kidney transplantation. J Bras Nefrol., v. 34, p. 1-7, 2012.

LIPPE, N. V. D.; WALDUM, B.; BREKKEL, F. B.; AMRO, A. A. G.; REISÆTER, A. V.; OS, I. From dialysis to transplantation: a 5-year longitudinal study on self-reported quality of life. BMC Nephrology., v. 15, p. 191, 2014.

MARINHO, A.; CARDOSO, S. S.; ALMEIDA, V. V. Geographic disparities in organ transplantation in Brazil. Cad Saúde Pública., v. 26, n. 4, p. 786-96, 2010.

SCHRIER, R. W.; BURROWS-HUDSON, S.; DIAMOND, L.; LUNDIN, P.; MICHAEL, M.; DONALD, L. Measuring, Managing, and Improving Quality in the End-Stage Renal Disease Treatment Setting: Committee Statement. Am J Kidney Dis., v. 24, p. 383-8, 1994.

SIEGAL, B.; GREENSTEIN, S. Compliance and noncompliance in kidney transplant patients: cues for transplant coordinators. J Transpl Coord., v. 9, p. 104-8, 1999.

SIQUEIRA, J. P. F. H. Benefícios decorrentes de auxílio-doença para empregados rurais, urbanos e domésticos: anotações à legislação básica pertinente. Síntese., v. 263, p. 71-86, 2011.

Publicado
2017-07-21
Seção
Artigos Originas - Promoção da Saúde