A DIVULGAÇÃO DE VÍDEOS DE ANATOMIA DO SISTEMA NERVOSO CENTRAL NO YOUTUBE

  • Gustavo Vieira de Oliveira Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Paula Alvarez Abreu Universidade Federal do Rio de Janeiro
Palavras-chave: Educação, Neuroanatomia, Anatomia.

Resumo

O estudo visa avaliar os métodos de exposição de conteúdos de neuroanatomia utilizados nos vídeos compartilhados no YouTube, o impacto destes vídeos e a aceitação dos usuários. Trata-se de uma pesquisa quantitativa, com abordagem descritiva e analítica observacional, envolvendo a análise de vídeos de neuroanatomia divulgados em português no site do YouTube. A pesquisa foi realizada no Youtube utilizando as palavras-chave “telencéfalo”, “diencéfalo” e “tronco encefálico”. Os vídeos foram categorizados de acordo com o método de exposição do conteúdo de neuroanatomia como equipamentos multimídia (EM), peças plásticas (PPT), peças plastinadas (PPN), e peças cadavéricas formolizadas (PCF) para avaliação do número de visualizações e aceitação dos usuários (número de likes e dislikes). Foi observado que as PPT foram mais utilizadas nos vídeos de neuroanatomia. Porém, os vídeos que utilizaram EM tiveram mais visualizações diárias e maior aceitação pelos usuários do Youtube. Os resultados do presente estudo sugerem que os vídeos de neuroanatomia utilizando EM podem contribuir de forma complementar para o ensino-aprendizado destes conteúdos

Biografia do Autor

Gustavo Vieira de Oliveira, Universidade Federal do Rio de Janeiro
Doutorando em Ciência, Programa de pós-graduação em Produtos Bioativos e Biociência, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Macaé (RJ), Brasil.
Paula Alvarez Abreu, Universidade Federal do Rio de Janeiro
Doutora em Neurociência. Laboratório de Modelagem molecular e Pesquisa em Ciências Farmacêuticas (LAMCIFAR), Universidade Federal do Rio de Janeiro, Macaé (RJ), Brasil.

Referências

Reidenberg JS, Laitman JT. The new face of gross anatomy. Anat Rec. 2002;269(2):81-88. DOI: 10.1002/ar.10076.

Netterstrøm I, Kayser L. Learning to be a Doctor While Learning Anatomy! Anat Sci Ed. 2008;1:154-158. DOI/10.1002/ase.31.

Schon F, Hart P, Fernandez C. Is clinical neurology really so difficult? J Neurol Neurosurg Psychiatry. 2002;72(5):557–559. DOI:10.1136/jnnp.72.5.557.

Bergman EM, van der Vleuten CP, Scherpbier AJ. Why don’t they know enough about anatomy? A narrative review. Med Teach. 2011;33(5):403-409. DOI: 10.3109/0142159X.2010.536276.

Johnson EO, Charchanti AV, Troupis TG. Modernization of an Anatomy Class: From Conceptualization to Implementation: A Case for Integrated Multimodal– Multidisciplinary Teaching. Anat Sci Educ. 2012;00:000–000.

Lowerison G, Sclater J, Schmid RF, Abrami PC. Are we using technology for learning? J. Educational Technology Systems. 2006;34(4) 401-425.

Jaffar AA. YouTube: An emerging tool in anatomy education. Anat Sci Educ. 2012, 5(3):158-64. DOI: 10.1002/ase.1268.

Judd T, Kennedy G. A five-year study of on-campus Internet use by undergraduate biomedical students. Computers & Education. 2010;55,(4):1564-1571. DOI.org/10.1016/j.compedu.2010.06.022.

Reveron R. The Use of YouTube in Learning Human Anatomy by Venezuelan Medical Students. MOJ Anat & Physiol. 2016;2(7):00075. DOI: 10.15406/mojap.2016.02.00075.

Azer SA. Can “YouTube” help students in learning surface anatomy? Surg Radiol Anat. 2012;34(5):465-468. DOI: 10.1007/s00276-012-0935-x.

Raikos A, Waidyasekara P. How useful is YouTube in learning heart anatomy? Anat Sci Educ. 2014;7(1):12-18. DOI:10.1002/ase.1361.

Melo EM, Pinheiro JT. Procedimentos legais e protocolos para utilização de cadáveres no ensino de anatomia em Pernambuco. Rev. bras. educ. med. 2010;34(2):315-323. DOI:10.1590/S0100-55022010000200018.

Silva YA, Junior EXS, Silva BN, Rodrigues GP, Souza GO, Novaes WA, Shiosaki RK, Silva TFA, Schwingel PA. Confecção de modelo neuroanatômico funcional como alternativa de ensino e aprendizagem para a disciplina de neuroanatomia. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação. 2017;12(3):1674-1688. DOI.org/10.21723/riaee.v12.n.3.2017.8502.

Shaffer K. Teaching anatomy in the digital world. N Engl J Med. 2004;351(13):1279-1281. DOI:10.1056/NEJMp048100.

Estai M, Bunt S. Best teaching practices in anatomy education: A critical review. Ann Anat. 2016;208:151-157. DOI:10.1016/j.aanat.2016.02.010. Epub 2016 Mar 17.

Publicado
2018-11-13
Seção
Artigos Originais