SENSIBILIDADE E ESPECIFICIDADE DE TESTES PARA AVALIAR O EQUILÍBRIO CORPORAL EM DIABÉTICOS

  • Elias Ferreira Porto Centro Universitário Adventista de São Paulo - UNASP - Campus São Paulo - SP
  • Claudia Kumpel Centro Universitário Adventista de São Paulo - UNASP - Campus São Paulo - SP
  • Daisy Maykendell Santos Larchert Centro Universitário Adventista de São Paulo - UNASP - Campus São Paulo - SP
  • Paulo Roberto da Costa Palacio Centro Universitário Adventista de São Paulo - UNASP - Campus São Paulo - SP
  • Anselmo Cordeiro de Souza Centro Universitário Adventista de São Paulo - UNASP - Campus São Paulo - SP. http://orcid.org/0000-0002-0156-716X
Palavras-chave: Equilíbrio postural, Diabetes mellitus tipo 2, Sensibilidade e especificidade

Resumo

Esta investigação objetivou Avaliar sensibilidade e especificidade de testes para diagnosticar alteração do equilíbrio corporal em diabéticos com e sem histórico de quedas. Estudo transversal com 120 diabéticos tipo II. Utilizaram-se os instrumentos: escala de equilíbrio de Berg, avaliação da marcha e equilíbrio orientada pelo desempenho de Tinetti, Dynamics Gait Index e o Falls Efficacy Scale – International. A escala Falls Efficacy Scale – International foi quem apresentou maior área debaixo da curva quando analisada isoladamente para alteração do equilíbrio corporal. Quando analisado conjuntamente com todos os demais testes o instrumento de Tinetti teve maior área debaixo da curva. Em relação à sensibilidade os instrumentos apresentaram resultados semelhantes e a escala de equilíbrio de Berg, seguido do Dynamics Gait Index, apresentaram menor especificidade respectivamente para esta amostra. Assim quando analisados individualmente os instrumentos, estes apresentaram-se semelhantemente sensíveis. Entretanto, quando analisados simultaneamente a escala de Tinetti se apresentou mais discriminante apesar de não haver diferença significante entre os instrumentos. Sugere-se ainda que para a população diabética pontos de corte ótimo parecem ser distintos dos preconizados tradicionalmente pela literatura.

Biografia do Autor

Elias Ferreira Porto, Centro Universitário Adventista de São Paulo - UNASP - Campus São Paulo - SP
Doutor em Ciências da Saúde (Departamento de medicina translacional) pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Docente do Programa de Mestrado em Promoção da Saúde do Centro Universitário Adventista de São Paulo (UNASP), Brasil
Claudia Kumpel, Centro Universitário Adventista de São Paulo - UNASP - Campus São Paulo - SP
Doutoranda em Engenharia e Biotecnologia pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Docente do Centro Universitário Adventista de São Paulo (UNASP), Brasil.
Daisy Maykendell Santos Larchert, Centro Universitário Adventista de São Paulo - UNASP - Campus São Paulo - SP
Fisioterapeuta pelo Centro Universitário Adventista de São Paulo (UNASP), Brasil.
Paulo Roberto da Costa Palacio, Centro Universitário Adventista de São Paulo - UNASP - Campus São Paulo - SP
Mestrando em Ciências da Saúde pela Universidade Nove de Julho (UNINOVE), Brasil.
Anselmo Cordeiro de Souza, Centro Universitário Adventista de São Paulo - UNASP - Campus São Paulo - SP.
Mestre em Promoção da Saúde pelo Centro Universitário Adventista de São Paulo (UNASP), Brasil

Referências

Hivert MF, Vassy JL, Meigs JB. Susceptibility to type 2 diabetes mellitus—from genes to prevention. Nature Reviews Endocrinology. 2014;10(4):198.

Nathan DM. Diabetes: advances in diagnosis and treatment. Jama, 2015; 314(10):1052-1062.

Brito KM, Buzo RAC, Salado GA. Estilo de vida e hábitos alimentares de pacientes diabéticos. Saúde e Pesquisa. 2009; 2(3):33.

Chatterjee S, Khunti K, Davies MJ. Type 2 diabetes. The Lancet. 2017; 389(10085): 2239-2251.

Coutinho WF, Silva Júnior WSS. Diabetes care in Brazil. Annals of global health. 2015; 81(6):735-741.

Cenci DR, Silva MD, Gomes EB, Pinheiro HA. Analysis of balance in diabetic patients through the F-scan system and Berg’s Balance Scale. Fisioter Mov. 2013: 26(1):55-61.

Dixon CJ, Knight T, Binns E, Ihaka B, O’Brien D. Clinical measures of balance in people with type two diabetes: A systematic literature review. Gait & posture. 2017; 58: 325-332.

Hewston P; Deshpande N. Falls and balance impairments in older adults with type 2 diabetes: thinking beyond diabetic peripheral neuropathy. Canadian journal of diabetes. 2016; 40(1): 6-9.

Porto EF, Kumpel C, Palácio PRC, Orcesi LS, Vieira SR, Silva EM, Souza AC. Equilíbrio postural e acidentes por quedas em diabéticos e não diabéticos. Revista Brasileira de Saúde Funcional. 2018; 1(2): 30-44.

Reichenheim ME, Moraes CL. Alguns pilares para a apreciação da validade de estudos epidemiológicos. Revista Brasileira de Epidemiologia. 1998; 1:131-148.

Eusebi P. Diagnostic accuracy measures. Cerebrovascular Diseases. 2013; 36(4): 267-272.

Leeflang MMG. Systematic reviews and meta-analyses of diagnostic test accuracy. Clinical Microbiology and Infection. 2014; 20(2): 105-113.

Reichenheim ME, Moraes CL. Qualidade dos instrumentos epidemiológicos. Epidemiologia: fundamentos, métodos e aplicações. Almeida-Filho N, Barreto M. Rio de Janeiro; Guanabara-Koogan: 2011.

Maxim LD, Niebo R, Utell MJ. Screening tests: a review with examples. Inhalation toxicology. 2014; 26(13): 811-28.

Karimollah HT. Receiver operating characteristic (ROC) curve analysis for medical diagnostic test evaluation. Caspian journal of internal medicine. 2013; 4(2): 627.

Camargos FF, Dias RC, Dias J, Freire MT. Cross-cultural adaptation and evaluation of the psychometric properties of the Falls Efficacy Scale-International Among Elderly Brazilians (FES-I-BRAZIL). Brazilian Journal of Physical Therapy, 2010;14(3), 237-43.

Gomes GC. Tradução, adaptação transcultural e exame das propriedades de medida da escala “performance-oriented mobility assessment” (POMA) para uma amostragem de idosos brasileiros institucionalizados [dissertação]. Campinas (SP): Universidade Estadual de Campinas; 2003.

Miyamoto ST, Lombardi Junior I, Berg KO, Ramos LR, Natour J. Brazilian version of the Berg balance scale. Braz J Med Biol Res. 2004; 37(9): 1411-21.

Castro SM, Perracini MR, Ganança FF. Versão brasileira do dynamic gait index. Rev Bras Otorrinolaringol. 2006; 72(6): 817-25.

Mancini M, Horak FB. The relevance of clinical balance assessment tools to differentiate balance deficits. European journal of physical and rehabilitation medicine. 2010; 46(2): 239.

García AF, Varela AS, Pérez SS. Is it possible to shorten examination time in posture control studies?. Acta Otorrinolaringologica (English Edition). 2015; 66 (3): 154-158, 2015.

Santos GM, Souza ACS, Virtuoso JF, Tavares GMS., Mazo GZ. Valores preditivos para o risco de queda em idosos praticantes e não praticantes de atividade física por meio do uso da Escala de Equilíbrio de Berg. Rev Bras Fisioter. 2011; 15(2), 95-101.

Schülein S. Performance-oriented mobility assessment und berg balance scale im Vergleich. Zeitschrift für Gerontologie und Geriatrie. 2014; 47(2): 153-64.

Funabashi M, Santos-Pontelli TEG, Colafemina JF, Grossi DB. Proposta de avaliação fisioterapêutica para pacientes com distúrbio do equilíbrio postural. Fisioterapia em Movimento, 2009; 22(4).

Jernigan SD, Pohl PS, Mahnken JD, Kluding PM. Diagnostic accuracy of fall risk assessment tools in people with diabetic peripheral neuropathy. Physical therapy, 2012; 92(11):1461-70.

Porto EF, Castro AAM, Schmidt VGS, Rabelo HM, Kümpel C, Nascimento OA, Jardim JR. Postural control in chronic obstructive pulmonar disease: a systematic review International Journal of COPD. 2015:10: 1233–39.

Faria CDCM, Salmela LFT, Araújo PA, Polese JC, Nascimento LR, Nadeau S. TUG-ABS Portuguese-Brazil.A clinical instrument to assess mobility of hemiparetic subjects due to stroke. Rev. Neurocience. 2015:23(3):357-67.

Hafsteindóttir TB, Rensink M, Schuurmans M. Clinimetric properties of the Timed Up and Go test for patients with stroke: a systematic review. Top Stroke Rehabil 2014:21:197-210.

Karuka AH, Silva JAMG, Navega MT. Analysis of agreement of assessment tools of body balance in the elderly. RevBrasFisioter. 2011, :15(6):460-6.

Publicado
2018-11-13
Seção
Artigos Originais