<b>Banco de Ovário: Uma Alternativa para Preservação de Fertilidade em Mulheres Diagnosticadas com Câncer

  • Franciele Osmarini Lunardi Universidade Estadual do Ceará
  • Isabela Seabra Ferreira Universidade do Estado de São Paulo
  • Marcelo Picinin Bernuci Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Criopreservação, Fertilidade Feminina, Câncer, Foliculogênese

Resumo

Nas últimas décadas, a terapia oncológica tem demonstrado, de maneira positiva, um grande impacto na taxa de sobrevivência de pacientes com câncer. Estima-se que, em longo prazo, milhares de mulheres conseguirão superar e sobreviver ao câncer. Entretanto, a quimioterapia e/ou a radioterapia destroem as células germinativas nas gônadas e podem levar a infertilidade permanente. Diferentemente dos homens, cujos métodos de preservação de fertilidade estão clinicamente definidos, em mulheres as metodologias empregadas ainda são limitadas. A retirada e congelamento do tecido ovariano previamente ao início da oncoterapia para a utilização futura em procedimentos de reimplante tecidual têm sido sugeridos como principal alternativa terapêutica de preservação e restauração da função endócrina e reprodutiva em mulheres diagnosticadas com câncer. Até o momento, já foram registrados mais de 20 nascimentos oriundos da associação das técnicas de criopreservação e transplante de tecido ovariano em mulheres. Como ainda não foi desenvolvido um protocolo de criopreservação do tecido ovariano capaz de garantir a manutenção da viabilidade folicular e oocitária exatamente como a observada no tecido fresco, ainda há muita cautela na utilização desta nova tecnologia na prática clínica. Diante da urgência de discussões sobre a aplicabilidade clínica do banco de tecido ovariano, o presente estudo revisará os principais esforços referentes ao desenvolvimento e à aplicação da técnica de criopreservação de tecido ovariano no tratamento de infertilidade de mulheres submetidas à terapia oncológica.

Biografia do Autor

Franciele Osmarini Lunardi, Universidade Estadual do Ceará
Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias da Faculdade de Veterinária da Universidade Estadual do Ceará - UECE, Fortaleza, CE.
Isabela Seabra Ferreira, Universidade do Estado de São Paulo
Graduanda no Curso de Ciências Biológicas da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” - UNESP, Jaboticabal, SP.
Marcelo Picinin Bernuci, Universidade de São Paulo
Pesquisador no Centro de Reprodução Humana do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo - FMRP-USP, Ribeirão Preto, SP; Docente do Programa de Mestrado em Promoção da Saúde na UNICESUMAR – Centro Universitário de Maringá, Maringá, PR.
Publicado
2013-12-18
Seção
Artigos de Revisão