O PROTAGONISMO JUVENIL NA CONSTRUÇÃO DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE: UMA INTERVENÇÃO EDUCATIVA ON-LINE

  • Ana Suelen Pedroza Cavalcante Escola de Formação em Saúde da Família Visconde de Sabóia- EFSFVS
  • Maristela Inês Osawa Vasconcelos Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA)
  • Andrea Carvalho Araújo Moreira Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA)
  • Izabelle Mont'Alverne Napoleão Albuquerque Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA).
  • Marcos Aguiar Ribeiro
  • Quiteria Larissa Teodoro Farias Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA)
Palavras-chave: Tecnologia da Informação, Participação da Comunidade Promoção da Saúde

Resumo

O objetivo deste estudo foi verificar os efeitos de uma intervenção educativa on-line sobre protagonismo juvenil no SUS. Trata-se de pesquisa-intervenção de abordagem quali-quantitativa desenvolvida com 22 adolescentes de uma escola pública profissionalizante, no período de outubro a dezembro de 2015. Para coleta de informações e avaliação da intervenção optou-se pela aplicação de um questionário antes e após a mesma. Os dados foram analisados por meio da estatística descritiva simples. A intervenção foi promovida a partir do desenvolvimento de um curso on-line, com três unidades de aprendizagem: Saúde - antes e depois do SUS; Participação em Saúde e Protagonismo Juvenil; e Serviços de Saúde. A avaliação da intervenção indica que a mesma potencializou e acrescentou conhecimentos aos adolescentes. Mostra-se, portanto, a relevância da formulação de estratégias promotoras da participação dos adolescentes no SUS e como estas contribuem para a construção e consolidação do mesmo.

Biografia do Autor

Ana Suelen Pedroza Cavalcante, Escola de Formação em Saúde da Família Visconde de Sabóia- EFSFVS
Mestre em Saúde da Família pelo Programa de Pós-Graduação em Saúde da Família da Universidade Federal do Ceará (UFC). Doutoranda em Saúde Coletiva pelo Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva da Universidade Estadual do Ceará (UECE)
Maristela Inês Osawa Vasconcelos, Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA)
Doutora em Enfermagem pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Docente do curso de Enfermagem da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA). Pró-reitora de Pesquisa e Pós-Graduação da UVA
Andrea Carvalho Araújo Moreira, Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA)
Doutora em Enfermagem pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Docente e Coordenadora do curso de Enfermagem da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA)
Izabelle Mont'Alverne Napoleão Albuquerque, Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA).
Doutora em Enfermagem pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Docente do curso de Enfermagem da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA). Vice-reitora da UVA,
Marcos Aguiar Ribeiro
Mestre em Saúde da Família pelo Programa de Pós-Graduação em Saúde da Família da Universidade Federal do Ceará (UFC). Doutorando em Enfermagem pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Auditor do Departamento Municipal de Auditoria do SUS (DEMASUS) da Secretaria Municipal de Saúde de Sobral/CE,
Quiteria Larissa Teodoro Farias, Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA)
Enfermeira graduada pela Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA). Mestranda em Saúde da Família pelo Programa de Pós-Graduação em Saúde da Família da Universidade Federal do Ceará (UFC)

Referências

Síntese de indicadores sociais: uma análise das condições de vida da população brasileira: 2015 / IBGE, Coordenação de População e Indicadores Sociais. Rio de Janeiro: IBGE, 2015: 137.

Projeção da população do Brasil por sexo e idade para o período 2000-2060; Projeção da população das unidades da federação por sexo e idade 2000-2030. Rio de Janeiro: IBGE, 2013.

Brasil. Secretaria de Atenção à Saúde. Área de Saúde do Adolescente e do Jovem. Política nacional de atenção integral à saúde de adolescentes e jovens. Brasília: Ministério da Saúde, 2007.

Brasil. Lei n. 12.852, de 5 de agosto de 2013. Institui o estatuto da juventude e dispõe sobre os direitos dos jovens, os princípios e diretrizes das políticas públicas de juventude e o sistema nacional de juventude - Sinajuve. Diário Oficial da União, Brasília, 2013; 1: 1-4.

Branco VMC, Cromack LMF, Edmundo KMB, Borges EGS, Santos LRP, Sales RP et al. Caminhos para a institucionalização do protagonismo juvenil na SMS-Rio: dos adolescentros ao RAP da Saúde. Adolesc. Saúde 2015 12 (1): 14-22.

Rabin MLR, Bacich L. O protagonismo juvenil na era digital. Revista Juventude e Políticas Públicas, Brasília, 2018 2 Edição Especial: 40-54; abr.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Área de Saúde do Adolescente e do Jovem. Marco legal: saúde, um direito de adolescentes. Brasília: Ministério da Saúde, 2005.

Pons MED, Sobrinho JCS, Remedi JMR. As tecnologias da informação e comunicação e a educação à distância. REGET 2013; 13 (13): 2661-2669.

Brasil. Ministério da Educação. Instituto Nacional do Desenvolvimento da Educação. Manual do aplicador do estudo CAP. Brasília. Ministério da Educação; 2002.

Amdocs. Amdocs survey: Teenagers have a digital lifestyle that service providers should adjust to. Disponível em <https://www.amdocs.com/media-room/amdocs-survey-teenagers-have-digital-lifestyle-service-providers-should-adjust>. Acesso em: 30 ago. 2018.

Oliveira RNG, Gessner R, Souza V, Fonseca RMGS. Limites e possibilidades de um jogo online para a construção de conhecimento de adolescentes sobre sexualidade. Ciência & Saúde Coletiva, 2016; 21 (8): 2383-2392.

Dias FAO, Silva MAS. O uso das ferramentas na educação a distância e o papel do tutor. Simpósio Internacional de Educação a Distância. 8 a 27 de setembro. 2016.

Baia RSM, Vasconcelos EV, Silva SED, Freitas KO, Gonçalves LHT. Moodle no processo educacional de enfermagem: avaliação na perspectiva do alunado. Enferm. Foco 2017; 8 (2): 31-35.

Quaglia I, Oliveira A, Velho APM. Capacitação em saúde na educação a distância (ead): uma análise sistemática do conteúdo. Saúde e Pesquisa 2015; 8: 103-12.

Brasil. Lei n° 8142/90, de 28 de dezembro de 1990. Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) e sobre as transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde e dá outras providências. Brasília; 1990.

Pereira MA. A construção da educação ambiental a partir do protagonismo juvenil em um grêmio ambiental. Ciência em tela. 2016; 9 (2).

Sicari AS, Pereira ER. Juventude e promoção da saúde: construindo diálogos de pesquisa-intervenção. Rev Eletrônica Extensão & Sociedade. 2015; 6 (2).

Conserva AM, Taveira FMF, Gomes LM, Marinho PS, Silva RSP. Participação social na construção do SUS: uma análise à luz da experiência brasileira. Cad. Ibero-Amer. Dir. Sanit. 2014; 3 (2): 102-9.

Publicado
2019-03-04
Seção
Artigos Originas - Promoção da Saúde