O MÉTODO PILATES NO SOLO NA QUALIDADE DE VIDA, FUNÇÃO PULMONAR E FORÇA MUSCULAR RESPIRATÓRIA DE IDOSAS

  • Mariana Barcelos Fabrício dos Santos Centro Universitário de Maringá (UNICESUMAR)
  • Mateus Dias Antunes Universidade de São Paulo (USP)
  • Daniel Vicentini de Oliveira Centro Universitário Metropolitano de Maringá (UNIFAMMA)
  • Siméia Gaspar Palácio Centro Universitário de Maringá (UNICESUMAR)
Palavras-chave: Envelhecimento, Atividade motora, Exercício.

Resumo

Este estudo teve o objetivo de analisar os efeitos do método Pilates no solo na qualidade de vida, função pulmonar e força muscular respiratória em mulheres idosas. Estudo quasi-experimental, realizado com 19 idosas no município de Maringá, Paraná, avaliadas por meio do SF-36, da espirometria e manovacuometria. As idosas foram submetidas a dez sessões de Pilates no solo, realizadas três vezes por semana, durante 60 minutos. Ao término do tratamento as pacientes foram reavaliadas e os dados analisados pelos testes de Wilcoxon e Mann Whitney (p < 0,05). Houve melhora da força muscular inspiratória (40,5%), expiratória (42,9%), da capacidade vital forçada (9,1%), do volume expiratório forçado no primeiro minuto (13,3%); e principalmente na qualidade de vida nos domínios de limitação por aspectos físicos (68,42%), aspectos emocionais (43,42%), capacidade funcional (35,0%) e dor (34,37%). O método Pilates no solo mostrou-se eficaz para melhorar a qualidade de vida, na função pulmonar e força muscular respiratória.

Referências

Moraes EM. Fisiologia do Envelhecimento aplicada à prática clínica. In: Silva ALA. Princípios Básicos de Geriatria e Gerontologia. Belo Horizonte: Coopmed; 2008.Cap.4.p.37-62.

Netto MP, Filho ETC. Geriatria: Fundamentos, Clínica e Terapêutica. São Paulo: Atheneu, 2005.

Marques D. Análise da capacidade funcional de mulheres idosas praticantes do método Pilates. [citado 2013 Mar 18]. Disponível em: //http://repositorio.unesc.net/handle/1/1474. (acesso em 18 março 2017).

Fagherazzi SB. Análise da Influência de diferentes fatores sobre as pressões ventilatórias máximas em idosos do município de Porto Alegre-Brasil [dissertação]. Porto Alegre: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; 2010.

Ruivo S, Viana P, Martins C, Baeta C. Effects of aging on lung function. A comparison of lung function in healthy adults and the elderly. Rev Port Pneum. 2009;15(4):629-53.

Spirduzo WW. Dimensões físicas do envelhecimento. 2. ed. Barueri: Manole, 2005.

Eurico STL, Souza CCT, Silva VLR. Efeitos de 20 sessões do método Pilates no alinhamento postural e flexibilidade de mulheres jovens: estudo piloto. Fisioter Pesq. 2013;20(2):143-50.

Zalli M, Benin AC, Gomes GD, Matos FM. Geriatria para Clínicos: medicina aplicada à Terceira Idade. 2. ed. Santa Catarina: Revinter; 2012.

Curi VS. A influência do método Pilates nas atividades de vida diária de idosas [dissertação]. Porto Alegre: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; 2009.

Freitas EV, Gorzoni LM. Tratado de geriatria e gerontologia. 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2011.

Reis AL, Mascarenhas MHC, Lyra EJ. Avaliação da qualidade de vida em idosos praticantes e não praticantes do método Pilates. CD Fainor. 2011;4(1):38-51.

Segura, D. D. C. A., do Nascimento, F. C., Chiossi, C. A., da Silva, M. A. A., Guilherme, J. H., & Santos, J. V. Estudo comparativo do tratamento da escoliose idiopática adolescente através dos métodos de RPG e Pilates. Saúde e Pesquisa. 2011;4(2):200-2006.

Sacco ICN, Andrade MS, Souza PS, Nisiyama M, Cantuária AL, Maeda FYI. Método Pilates em revista: aspectos biomecânicos de movimentos específicos para reestruturação postural-estudos de caso. R. Bras.Ci e Mov. 2005; 13(4):65-78.

Ciconelli RM, Ferraz MB, Santos W, Meinão I, Quaresma MR. Tradução para língua portuguesa e validação do questionário genérico de avaliação de qualidade de vida SF-36. Revs Bras Reumatol. 1999;39(3):143-50.

Silva LCC. Avaliação funcional pulmonar: incluindo questões de auto-avaliação e respostas comentadas. 2. ed. Rio de Janeiro: Revinter, 2000.

Santos M, Cancelliero-Gaiad KM, Arthuri MT. Efeito do método pilates no solo sobre parâmetros respiratórios de indivíduos saudáveis. R. bras. Ci. e Mov 2015;23(1):24-30.

Craig C. Pilates com a bola. 2. ed. São Paulo: Phorte 2005.

Jesus LT, Baltieri L, Oliveira GL, Angeli RL, Antonio OS, Forti PME. Efeitos do método Pilates sobre a função pulmonar, a mobilidade toracoabdominal e a força muscular respiratória: ensaio clínico não randomizado, placebo-controlado. Fisioter Pesq. 2015;22(3):213-22.

Barbosa CWA, Guedes AC, Douglas NB, Silva FA, Martins MLF, Barbosa ASCM . The Pilates breathing technique increases the electromyographic amplitude level of the deep abdominal muscles in untrained people. J Bodyw Mov Ther. 2015;19(1):57-61.

Di Alencar TAM, Matias KFS. Princípios fisiológicos do aquecimento e alongamento muscular na atividade esportiva. Rev Bras Med Esporte. 2010; 16(3):230-34.

Santos RR, Silva ALA. Princípios Básicos de Geriatria e Gerontologia, 2. ed. Minas Gerais: Coopmed, 2008.

Farinatti VT. Envelhecimento: promoção da saúde e exercício. Bases teóricas e Metodológicas. Barueri: Manole; 2008.

Godoy DV, Bringhenti RL, Severa A, Gasperi R, Poli LV. Ioga versus atividade aeróbia: efeitos sobre provas espirométricas e pressão inspiratória máxima. J Bras Pneumol. 2006;32(2):130-35.

Gallagher SP, Kryzanowska R. O método de Pilates de Condicionamento Físico. São Paulo: Competition; 2000.

Nascimento MM, Carvalho ECF. Comparação da percepção da qualidade de vida entre idosos ativos e iniciantes no método pilates. R. Bras. Qual. Vida. 2015;7(4):259-68.

Matsudo SM, Barros NTL. Efeitos benéficos da atividade física na aptidão física e saúde mental durante o processo de envelhecimento. Rev. Bras. Ativ. Fís. Saúde. 2000;5(2):60-76.

Chaim J, Raimundo ME, Sant’anna FCA, Yuaso DR. Prática regular de atividade física e sedentarismo: influência na qualidade de vida de idosas. RBCEH. 2010;7(2):198-209.

Kolyniak IE, Cavalcanti SMB, Aoki MS. Avaliação isocinética da musculatura envolvida na flexão e extensão do tronco: efeito do método Pilates. Rev Bras Med Esporte. 2004;10(6):487-90.

Publicado
2019-08-23
Seção
Artigos Originas - Promoção da Saúde