NUEVAS METODOLOGÍAS DE ENSEÑANZA DEL DERECHO EN ARGENTINA

  • Damian Rodrigo Pizarro Universidad de Buenos Aires
Palavras-chave: Metodologías de enseñanza, Tecnología, Tiempoy espacio

Resumo

Nossa experiência marcada pela variedade de alunos, modalidades e objetivos invocados no início das aulas, podemos deduzir que os modelos ou métodos rígidos poderiam ser aplicados se e somente se omitíssemos os fatores tempo e espaço, e a tecnologia retardasse seu ritmo esmagador sobre os institutos mais conhecidos e estabelecidos. Dedicamos estas palavras de abertura para estabelecer algumas diretrizes, algumas que respondem aos pontos de partida conceituais e argumentativos, e outras aos objetivos que propomos para este trabalho. Portanto, essas orientações serão aplicadas tanto nesta exposição como em todos os meios que possibilitamos o diálogo e a troca de aulas, tantos espaços possíveis como áreas de aplicação. Como já mencionamos em nossa experiência, tanto presencial quanto virtual, buscamos atingir os alunos que se busca eficiência, na via didática e pedagógica do Direito. Vale ressaltar também que o papel do educador não é simplesmente comunicar conteúdos, mas fazer com que o aluno experimente o próprio conceito, sua possível aplicação e tratamento. Por isso, o método do caso, algumas bibliografias comentadas, workshops de insucesso, ou outras atividades práticas, podem permitir-nos conter a atenção do aluno dentro do horário de aula e para que essa experiência seja enriquecedora.

Biografia do Autor

Damian Rodrigo Pizarro, Universidad de Buenos Aires
DRP, Abogado (con especialización en Derecho Público), Universidad de Buenos Aires. Cursante de Doctorado en Derecho Constitucional (Modalidad Intensiva - UBA). Profesor de las Facultades de Derecho y de Ciencias Económicas (UBA). Profesor virtual (UBA). Editor y coordinador editorial de obras jurídicas, Redacción Editorial La Ley, Thomson Reuters. Miembro Asociado de la Asociación Argentina de Derecho Constitucional.

Referências

.
Publicado
2021-02-18
Seção
Doutrinas